30 Mosteiros e Conventos vão ser recuperados para turismo

O programa Revive tem como objetivo a recuperação de imóveis do estado por parte de privados: o setor do turismo sairá beneficiado.

30 Mosteiros e Conventos vão ser recuperados para turismo
Programa Revive promove a recuperação de imóveis

Vários mosteiros e conventos estão entre os 30 edifícios do estado escolhidos para fazerem parte do Programa Revive: projeto que prevê a recuperação por parte de privados de imóveis abandonados com vista à sua utilização para o turismo.


Revive: recuperação de imóveis abandonados para turismo

O governo apresentou o total dos edifícios que vão integrar o projeto, pelo que os privados podem agora apresentar as candidaturas para a concessão dos edifícios para recuperação. O valor aproximado para o projeto está estimado em cerca de 5 milhões por edifício, totalizando assim 150 milhões de euros.

O programa obriga os investidores a realizarem obras de recuperação do edifício, respetiva manutenção e ainda a obrigação de estarem abertos ao público. Assim, o futuro destes edifícios pode passar por unidades hoteleiras, restaurantes, museus ou mesmo locais para a realização de exposições, concertos ou espetáculos.



A lista dos 30 edifícios do programam Revive

  1. Convento de São Paulo, Elvas
  2. Castelo de Vila Nova de Cerveira, Vila Nova de Cerveira
  3. Mosteiro de São Salvador de Travanca, Amarante
  4. Mosteiro de Arouca, Arouca
  5. Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, Coimbra
  6. Pavilhões do Parque D. Carlos I, Caldas da Rainha
  7. Paço Real de Caxias, Oeiras
  8. Forte do Guincho, Cascais
  9. Castelo de Portalegre, Portalegre
  10. Quinta do Paço de Valverde, Évora
  11. Mosteiro de Sanfis de Friestas, Valença
  12. Mosteiro de Santo André de Rendufe, Amares
  13. Convento de Santa Clara, Vila do Conde
  14. Colégio de S. Fiel, Castelo Branco
  15. Mosteiro do Lorvão, Penacova
  16. Palácio do Manique do Intendente, Azambuja
  17. Quartel da Graça, Lisboa
  18. Forte da Ínsua, Caminha
  19. Forte da Barra de Aveiro, Ílhavo
  20. Forte do Rato, Tavira
  21. Casa Marrocos, Idanha-a-Nova
  22. Armazéns Pombalinos, Vila do Bispo
  23. Santuário do Cabo Espichel, Sesimbra
  24. Quartel do Carmo, Horta/Açores
  25. Forte de São Pedro – Forte Velho, Estoril
  26. Palácio das Obras novas, Azambuja
  27. Coudelaria de Alter, Alter do Chão
  28. Convento de Santo António dos Capuchos, Leiria
  29. Convento de S. Francisco, Portalegre
  30. Forte de São Roque, Lagos

Até agora, apenas um edifício, dos primeiros 10 definidos pelo governo, está já atribuído ao grupo Vila Galé: o Convento de São Paulo, em Elvas, em virtude de ser o único interessado no imóvel.

Embora o caderno de encargos seja diferente para cada um dos 30 imóveis da lista, em geral, as concessões serão por 30 a 50 anos, período após o qual a concessão pode ser renovada ou não. Neste caso, o imóvel voltará às mãos do estado.

Veja também: