Mulheres poupam mais que os homens

De acordo com um estudo das seguradoras da Caixa Geral de Depósitos (CGD) e do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE), os portugueses estão insatisfeitos com as próprias poupanças. No entanto, o estudo mostra também que as mulheres poupam mais para a reforma que os homens.

Mulheres poupam mais que os homens

A conclusão do estudo da Fidelidade Mundial e da Império Bonança, do Grupo CGD, e coordenado pelo ISCTE, mostra um claro agravamento da satisfação dos portugueses com as suas poupanças para a reforma, face aos resultados obtidos há três anos.

O estudo revela que só 21,3% estão satisfeitos com a quantidade de dinheiro que estão a poupar para a reforma. Além disso, a pesquisa mostrou que a maior parte dos portugueses adopta comportamentos de poupança no dia-a-dia.

No dia-a-dia, quem vai à frente quanto a poupanças são as mulheres, que mais do que os homens hesitam em fazer compras, mesmo quando são necessárias e fazem comparações de preços antes de comprar. Apesar de hábitos de consumo mais refreados, as mulheres têm mais prazer que os homens no acto de comprar.

O objectivo da divulgação deste estudo é sensibilizar a sociedade para a importância do assunto da reforma, ajudando os cidadãos a terem mais consciência dos seus hábitos e de como eles afectam a sua vida futura. 

Pretende-se acabar com aquela atitude tipica de estar à espera da reforma do Estado; e antes ser pró-activo e ser responsável pela sua própria reforma de forma a complementar a prestada pela Segurança Social.