Novos recordes no malparado e nas poupanças

É até um pouco contraditório mas a verdade é que estão a aumentar os depósitos das familias mas também está a aumentar o crédito malparado, ou seja, tanto familias como empresas não pagam as prestações dos seus créditos à banca.

Novos recordes no malparado e nas poupanças

Já tem sido hábito o crédito malparado atingir novos recordes quase mensalmente, o que evidencia bem a crise que o país atravessa, não permitindo às familias e às empresas o pagamento das suas prestações à banca.

Por esse motivo, os bancos vêem-se forçados a recorrer ao BCE - Banco Central Europeu. Se compararmos Outubro de 2010 com o Outubro deste ano, vemos que o crédito concedido às familias caiu 1,6%.

Face ao maior risco envolvido em conceder crédito a particulares devido à situação frágil da nossa economia, os bancos têm fechado a torneira do crédito, até porque estão com problemas de liquidez, o que os leva a praticar margens elevadas inibindo a contratação de crédito.

Também as empresas estão em falta para com os bancos, principalmente, as que operam em sectores como a construção, automóvel e imobiliário.

Por outro lado, verifica-se também um aumento nos depósitos dos portugueses, os quais num prazo de um ano cresceram 9,4%. Trata-se de uma boa média, tendo em conta que na Zona Euro a média é de 2,5%. Além disso, estes valores revelam bem o esforço que está a ser feito para poupar apesar do clima de austeridade que se vive.