Portugueses não acreditam na poupança

Apesar de os portugueses estarem mais confiantes quanto à evolução do emprego e da situação económica do país em geral, não acreditam muito na poupança, ou seja, têm dúvidas quanto à capacidade de poupança no próximo ano.

Portugueses não acreditam na poupança

Junho é o quinto mês seguido que a confiança dos consumidores aumenta, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Os consumidores acreditam que a situação financeira de cada lar vai melhorar durante os próximos 12 meses, além do desemprego também poder vir a seguir o mesmo caminho.

Já que no que respeita à capacidade de poupança, os consumidores revelam-se mais descrentes.

Além dos particulares, também os empresários foram questionados sobre o clima económico e estes mostram-se bem mais apreensivos que os particulares, especialmente, os empresários da construção e obras públicas.

Adicionalmente, o INE revela que a taxa de poupança dos portugueses aumentou no primeiro trimestre do ano para 10,8% do rendimento disponível, o que implica uma ligeira subida de 0,8% em relação à taxa que se registava no ano terminado no trimestre anterior.

Segundo o INE, o aumento do nivel de poupança terá sido motivada pela redução da despesa de consumo final.