Portugueses tencionam poupar mais nos próximos meses

Um estudo revela que, embora os níveis de confiança tenham aumentado, o consumidor português já pondera retomar os hábitos de poupança.

Portugueses tencionam poupar mais nos próximos meses
57% dos portugueses prevê poupar em breve

Após uma análise do comportamento e hábitos de compra dos cidadãos portugueses, 57% dos inquiridos espera poupar já nos próximos meses. Se comparada com o ano anterior, a previsão de poupança nos lares portugueses aumentou 4%. Em relação ao panorama mundial, Portugal apresenta também a percentagem mais elevada neste mesmo estudo, com uma vontade de poupança de 41%.

Embora os níveis de confiança do consumidor português tenham atingido máximos em relação à última década, a verdade é que os portugueses começam a pensar em estratégias de poupança por diversos motivos. De acordo com os resultados, 79% dos inquiridos admite ter necessidade de limitar as despesas, enquanto 67% mostra, efetivamente, determinação em começar a seguir algumas dicas de poupança. Quanto aos que justificam a vontade de aumentar os hábitos de poupança devido à preocupação pelo futuro, correspondem a 67% da amostra analisada.

Além disso, 33% dos portugueses confessa que o total de despesas deste ano tem aumentado face ao ano anterior. No entanto, este valor, que aumentou 3%, está abaixo da média global: 46%.

As conclusões são da autoria do Observador Cetelem, que analisa o consumo e o comércio mundiais, em diferentes setores, de cidadãos portugueses e europeus. Trata-se de uma publicação divulgada em doze países europeus (Alemanha, Bélgica, Eslováquia, Espanha, França, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, República Checa, Roménia e Sérvia), assim como na Turquia (mercado automóvel), Rússia e Brasil.

Veja também:

Belinda Sá Belinda Sá

Tem como paixão principal a escrita criativa e, no seu percurso, são vários os projetos internacionais e interculturais que a inspiram a escrever cada vez mais. É licenciada em Ciências da Comunicação: Jornalismo, Assessoria e Multimédia, pela Universidade do Porto, e tem experiência profissional em Marketing e Comunicação.