Supercrédito fiscal para as empresas proposto pelo CDS

O CDS quer criar medidas que incentivem as empresas, nomeadamente o supercrédito fiscal.

Supercrédito fiscal para as empresas proposto pelo CDS
Debate do Orçamento do Estado vai de vento em popa

O debate sobre o Orçamento do Estado para 2017 vai de vento em popa em várias frentes. Para já, é notícia que o CDS propôs o supercrédito fiscal de forma a incentivar as empresas a realizarem investimento produtivo. Mas, ao que parece, esta medida não vem de agora. Segundo notícia avançada, este ideia é inspirada numa “medida tomada em 2013 pelo Governo anterior e que conduziu a mais de 2500 milhões de euros de investimento direto em Portugal por parte de 20 mil empresas”. Assim sendo, os centristas propõe que o próximo Orçamento do Estado contemple “um supercrédito fiscal em IRC para o ano de 2017”.

Luís Pedro Mota Soares, deputado e ex-ministro, vê “com grande preocupação os números do investimento que, na minha opinião, é muito anémico, não só face às previsões como aos números dos últimos anos”, refere.

Indo um pouco atrás, sabe-se que em 2014 o investimento cresceu 2,3%, em 2015 cresceu 4,5% e neste momento está a cair 2,7%. Neste prisma, o deputado revela que assim sendo “não é possível a economia crescer de forma robusta e sustentada”.
Esta proposta do supercrédito fiscal prevê permitir que as empresas programem melhor o seu investimento. 


Veja também: