Saiba porque deve abrir sempre a porta do carro com a mão direita

Abrir a porta com a mão direita é uma sugestão para os condutores. Quem vai no lugar do pendura, deve abrir a porta com a mão esquerda.

Saiba porque deve abrir sempre a porta do carro com a mão direita
Uma medida que evita acidentes, especialmente com ciclistas

Se nunca ouviu falar desta medida para evitar acidentes na estrada – ou ao sair dos carros – de certeza que está a achar tudo muito estranho. Mas continue a ler e verá como tudo faz sentido.

Que medida é esta e de onde veio?

Costuma dizer-se que é nos momentos de crise que surgem respostas criativas aos problemas. Talvez seja demais dizer que esta é uma crise, mas é um caso sério e com bastantes vítimas. Falamos dos condutores de bicicletas, que são frequentemente atingidos por portas de carros que se abrem quando estes estão a circular. Em algumas cidades a situação é tão frequente que já tem nome: dooring. Isto porque os ciclistas levam com as portas (doors, em inglês) dos carros.

Toda a gente sabe que, para além de canais e coffee shops, o que mais se encontra em Amesterdão são bicicletas, que existem na cidade em maior número do que as pessoas! Por isso mesmo, há alguns azares quando as bicicletas se encontram com os carros.

bikes bicicletas

Tendo em conta o número elevado de acidentes, surgiu na Holanda uma medida para tentar evitar esses encontros imediatos: abrir a porta do carro com a mão contrária ao lado em que estamos sentados. Ou seja, se estivermos no lado do condutor, devemos abrir a porta com a mão direita. Se estivermos no lugar do pendura, é aconselhado que se abra a porta com a mão esquerda.

Abrir a porta com a mão oposta ao lado para onde vamos sair obriga a um movimento de rotação do corpo que resulta numa melhor observação do espelho retrovisor lateral e da rua. Ao olhar para fora, o condutor ou passageiro presta mais atenção à circulação de bicicletas – e não só – e a probabilidade de abrir a porta no momento em que alguém esteja a passar reduz drasticamente.

Seguir os bons exemplos

Se, à partida, a ideia parece demasiado simples para solucionar o problema, se experimentar irá comprovar que a medida não é, de todo, absurda. Por isso, há quem esteja de olho nesta iniciativa e pense em adotá-la.

Em Nova Iorque, devido ao elevado número de carros, estão a ser postas em prática medidas como ter autocolantes nos táxis a alertar para a existência de ciclistas. Mas isto pode não ser suficiente.

cab taxi ny nyc nova iorque new york

A medida holandesa é apoiada e sugerida pelo blog de design urbano 99% Invisible.

Talvez Nova Iorque, e também outras cidades onde o ciclismo se esteja a propagar, devesse pensar em incentivar este hábito a quem conduz.

Portugal é dos países onde há cada vez mais adeptos dos meios de transportes não poluentes, existindo cada vez mais ciclovias, para que os ciclistas possam circular de forma mais segura. Por isso, talvez fosse uma boa ideia começar a espalhar esta ideia por cá. Se conduz, pense bem nisto e passe a palavra.

Veja também: