Publicidade:

6 dicas para analisar anúncios de emprego

Já todos vimos muitos anúncios de emprego e estes parecem, à primeira vista, muito idênticos. No entanto, é preciso analisar e ler nas entrelinhas.

6 dicas para analisar anúncios de emprego
O que procurar nas entrelinhas?

Se já passou pela experiência de responder a anúncios de emprego, talvez tenha percebido que não basta responder para ter assegurada a sua entrevista. O facto de a maior parte dos anúncios de emprego estar na internet, e a facilidade processual de responder à oferta publicada pela empresa, cria a ilusão de que chegar à etapa seguinte do processo de seleção será igualmente rápido e fácil. Mas não é, de todo, assim.

Já respondeu a anúncios e não foi contactado? Ou, se foi selecionado, já foi apanhado de surpresa numa entrevista que pouco tinha a ver com a expectativa? Ou, ainda, foi chamado para uma entrevista pessoal e não estava preparado? Então, este artigo é para si: aprenda a entender os anúncios de emprego, para ser recrutado e não cair mais em enganos.

Analisar anúncios de emprego: o que procurar nas entrelinhas?


Uma coisa é certa: quando uma empresa publica um anúncio de emprego, sabe de antemão que recolherá centenas de candidaturas. Isso faz, desde logo, com que a probabilidade de ser selecionado diminua muito. A verdade é que, perante a ausência de respostas por parte da empresa, surge um sem número de dúvidas sobre qual poderá ter sido o verdadeiro destino da sua candidatura. Se for este o seu caso, não desanime. Aprenda a saber o que dizem realmente os anúncios de emprego, para dar respostas mais eficazes.

anuncio de emprego

1. Como responder a um anúncio de emprego?

Algumas empresas solicitam que se faça um upload dos documentos de candidatura, bastando clicar em “enviar”. Mas, não se deixe levar pela facilidade. Tome atenção, pois a descrição da vaga pode conter outros detalhes, como um endereço de e-mail específico para respostas e/ou follow-up.

Também pode haver instruções em relação a que tipo de documentos enviar e em que formato eles devem estar. Ou até, quem sabe, um número de telefone, para o qual deverá ligar mais tarde para perguntar se os documentos foram recebidos. É importante não facilitar e seguir as instruções. Não seguir as instruções é um indicador de que não leu bem o anúncio de emprego – e quem quereria contratar uma pessoa desatenta?

2. O anúncio parece falso ou ilegítimo?

A internet, como se sabe, está cheia de possibilidades de recolha de dados pessoais que, depois, vão ser usados de forma ilegítima. Uma das formas de o fazer é através de anúncios falsos de emprego. Para se precaver, pesquise pelo nome da empresa e perceba se ela existe mesmo. Se os únicos resultados de pesquisa encontrados forem links para outras ofertas de emprego, isso geralmente é uma indicação de que o anúncio não é legítimo.

Pesquise também pelo endereço de e-mail. Mesmo que um anúncio seja para um emprego numa empresa conhecida, se o endereço de e-mail terminar em gmail.com, ou hotmail.com, ou tiver um nome diferente do da empresa, pode ser um forte indício de que é falso – ou, pelo menos, pouco credível. Se ainda assim decidir responder, proteja-se e não dê dados pessoais desnecessários, como o número do cartão de cidadão.

3. O anúncio está escrito em Inglês?

Este aspeto deve alertá-lo para o facto de que os conhecimentos de Inglês são um requisito indispensável para ser selecionado. Tendo isso em conta, a resposta ao anúncio deve ser também em Inglês. Sim: o CV deve ser traduzido, assim como a sua carta de candidatura. E, se tudo correr bem, prepare-se para ser entrevistado também em Inglês.

4. A empresa não está identificada no anúncio

O anonimato da empresa é preservado na grande maioria dos anúncios de emprego, às vezes, por uma questão de concorrência. Não desanime nem fique a pensar que as possibilidades de dar uma resposta adequada ficaram reduzidas a zero: invista em conhecer a função e o setor de atividade em Portugal para dar uma resposta bem fundamentada.

5. A oferta de emprego é para outra zona do país

Pois bem, imagine que viu um anúncio que lhe agradou, porque a descrição da função correspondia a 100% com o seu perfil, mas o posto de trabalho situa-se no Alto Alentejo. Decide responder na mesma? Então, saiba desde já que deverá estar disponível para ser entrevistado na mesma região. Não estava a prever fazer esse investimento de tempo e dinheiro? Então, provavelmente, a empresa verá que não está disponível para trabalhar na região.

Antes de responder ao anúncio, pondere bem se está mesmo disponível para trabalhar de acordo com as condições oferecidas.

6. Critérios facultativos versus fatores eliminatórios

Se o anúncio refere que serão privilegiados candidatos com noções de Excel, e se não tem conhecimentos nenhuns de Excel, deve candidatar-se na mesma? A resposta é “sim”. Quando o anúncio refere que “se dá preferência a” isso significa que a competência mencionada não é tida como fator eliminatório, mas sim preferencial. O que deve corresponder mesmo ao seu perfil são os aspetos que a empresa frisou que são essenciais ao desempenho da função.

Veja também:

Catarina Reis Catarina Reis

Consultora de carreira com mais de 10 anos de experiência, possui formação superior em Gestão de Recursos Humanos e Psicologia. É naturalmente curiosa, desenvolvendo múltiplos projetos paralelos que envolvem a Fotografia, a Música, o Marketing Digital e o Cinema.