Como organizar finanças pessoais

A organização das suas finanças pessoais permite-lhe gerir melhor os seus gastos actuais, mas também precaver-se de despesas inesperadas no futuro.

Como organizar finanças pessoais
10 dicas para organizar a sua vida financeira

Ao seguir as dicas que apresentamos neste artigo terá maior facilidade em planear os seus gastos, lidar com imprevistos, cumprir as suas metas financeiras e ainda economizar. Para melhorar a gestão das suas finanças pessoais, siga as seguintes sugestões:


1. Defina prioridades

Esteja ciente que o mais importante é pagar as suas dívidas, antes de pensar em poupar dinheiro. Se neste momento tem uma dívida que cobra um juro baixo e se a sua capacidade financeira o permitir talvez não seja necessário amortizar a dívida, podendo assim dar prioridade a outros recursos, como poupança ou investimentos. Contudo, decida qual a prioridade do seu dinheiro, ou seja, quais os assuntos mais urgentes a cumprir e quais os objectivos mais fáceis de alcançar; 
 

2. Chapa ganha, chapa gasta?

Se possível, tente não gastar o dinheiro que receber adicionalmente, por exemplo, horas extra, prémios de produtividade, gratificações, participações nos lucros, etc.. O melhor será guardá-lo para eventuais necessidades futuras; 


3. Reserve uma parte do seu dinheiro para emergências

É muito importante ter algum dinheiro disponível para cobrir emergências, como por exemplo os cuidados médicos para um membro da família, e preferencialmente garantir que esse dinheiro é depositado numa conta bancária assegurando-se que pode usá-lo num determinado prazo, podendo desta forma beneficiar dos juros. Se tiver algum dinheiro de parte para emergências e contingências, evitará alterações bruscas ao seu orçamento mensal para despesas deste tipo.

 

4. Abra uma conta poupança

Se o seu salário não é depositado numa conta bancária, abra uma conta poupança. Deposite os seus rendimentos e organize o seu dinheiro através da sua conta, assim não gastará tudo de uma vez e poderá administrá-lo melhor.
 

5. Considere outras fontes de rendimento

Analise outras fontes de rendimento possíveis. Por exemplo, verifique a possibilidade de iniciar um novo negócio, vender aquilo que não usa e até calcular o valor da sua reforma.
 

6. Envolva o seu cônjuge

Se for o caso, opte por planear as finanças da sua família com o cônjuge. Assim, ambos estarão cientes dos movimentos do seu dinheiro e em conjunto poderão encontrar boas ideias de como utilizá-lo.

 

7. Se tem cartão de crédito, use-o correctamente

Lembre-se que os seus cartões de crédito deverão ser usados para aproveitar alguma oportunidade em que não tem dinheiro disponível ou para algo inesperado. Use-os apenas quando realmente necessário e com moderação.

 

8. Mantenha o seu histórico de crédito limpo

Confirme o seu historial de crédito, para saber se poderá obter um crédito quando for necessário, de acordo com os seus planos, metas e objectivos. Se o seu historial de crédito não for muito favorável, então faça todos os esforços possíveis para melhorá-lo, pagando o necessário.
 

9. Cuidado com os impostos

Se paga impostos como assalariado, fique sempre ao corrente dos prazos de pagamento. Uma declaração fora do limite de tempo pode causar um sério desequilíbrio nas suas finanças, pois além do montante que é obrigado a pagar, terá que cobrir multas e juros acumulados.
 

10. Organize-se

Mantenha em local seguro todos os documentos importantes, como extractos de contas bancárias, contratos, seguros e outros documentos relativos às suas finanças pessoais e da sua família. É igualmente importante que o seu cônjuge saiba em que lugar estão esses documentos, para que possa encontrá-los nalguma situação de emergência. Pode guardá-los num local seguro em casa, ou no banco, no entanto convém ter sempre uma cópia, pois por algum motivo, se os originais forem destruídos ou perdidos, as cópias terão de cumprir as formalidades e verificar a autenticidade destes.
 

Em futuros artigos apresentaremos novas sugestões que poderão ajudá-lo a melhorar noutros aspectos a gestão das suas finanças pessoais.

 
 
Veja também: