Como poupar no condomínio

Conheça sete dicas de como poupar no condomínio. Ideias e regras básicas para diminuir os encargos com o condomínio.

Como poupar no condomínio
Dicas de como poupar no condomínio.

Poupar é a palavra de ordem para qualquer condomínio. No entanto, seja a gestão do condomínio entregue a uma empresa externa ou a um dos condóminos, o planeamento e controlo das contas deve ser muito rigoroso para que não aconteçam “derrapagens”. Assim, é fundamental aplicar algumas regras de como poupar no condomínio. Conheça algumas dicas e ideias de como poupar no condomínio.
 

7 dicas de como poupar no condomínio

1. Renegociar os contratos existentes na manutenção de elevadores, trabalhos de manutenção e limpeza do edifício e jardinagem, por exemplo, é uma das melhores formas de poupar no condomínio. O mercado está em constante mutação e é possível conseguir melhores contratos ou renegociar os existentes;

2. Use o correio eletrónico, quando a lei o permite, para as comunicações. É possível, por exemplo, enviar recibos ou avisos de pagamento por email poupando no papel e nas despesas de correio. Contudo, a lei não permite o envio das convocatórias das assembleias e das atas aos ausentes por correio eletrónico;

3. Analise e compare vários orçamentos na altura de escolher um empreiteiro para a execução das obras de manutenção do prédio. Nem sempre o mais barato é o melhor. Para evitar dissabores deve contratar empresas credenciadas pelo Instituto da Construção e do Imobiliário (INCI);

4. Reduza nas despesas bancárias através do banco que lhe ofereça melhores condições. A conta à ordem necessária para a gestão do condomínio pode ser uma despesa avultada, concretamente, nas comissões bancárias e transferências. Avalie os valores que está a pagar e analise as soluções oferecidas pelas restantes instituições financeiras a operar no mercado nacional. Pode redundar numa boa poupança;

5. Se ainda não o fez, mude para o mercado liberalizado para conseguir poupar na conta da eletricidade. Mesmo que a poupança não seja substancial é garantida;

6. Escolha o melhor seguro e o mais adequado às necessidades do condomínio. O seguro de incêndio é o único obrigatório, mas pode ser insuficiente. O ideal será encontrar um seguro multirriscos-condomínio. Analise e escolha a melhor opção existente no mercado;

7. Tente regularizar as quotas em atraso, um dos maiores problemas da gestão do condomínio. Na maior parte das vezes é preferível o condomínio tentar chegar a um acordo de pagamento com os devedores do que recorrer aos tribunais – implicam custos adicionais. Um acordo de pagamento, que o condómino faltoso consiga cumprir, será benéfico para todas as partes.
 

Veja também: