Empréstimo da habitação: como reduzir?

O financiamento para a compra de casa é algo a que quase todos os portugueses têm de recorrer. Saiba como é possível reduzir o empréstimo da habitação.

Empréstimo da habitação: como reduzir?
Informe-se sobre as possibilidades do redução no pagamento

Provavelmente já recorreu, ou está a pensar em recorrer, a créditos à habitação para poder comprar uma casa. Saiba que é possível reduzir o empréstimo da habitação, para poder evitar custos elevados e surpresas desagradáveis.

Infelizmente, não conseguir suportar o custo da mensalidade do crédito à habitação é uma realidade frequente, e situações como desemprego ou doença, levam ao incumprimento no pagamento do empréstimo da habitação.

Deixamos algumas sugestões que podem ajudar na hora de tentar reduzir essa mensalidade. Tenha no entanto atenção, que pode existir sempre a necessidade de negociação com a entidade em que tem o crédito.

Reduzir o empréstimo da habitação: 6 sugestões

1. Amortizar o crédito

Começamos pela sugestão mais difícil, mas também pela mais eficaz. Se for poupando ao longo de algum tempo, é capaz de conseguir algum do valor do empréstimo de uma só vez, e isso reflete-se no valor do que ainda deve ao banco. Além de reduzir a prestação mensal, reduz também os juros. Além disso é capaz de conseguir reduzir o seu seguro de vida.

Informe-se junto da sua entidade para garantir que não existem custos relacionados com amortizações antecipadas, de modo a poder aplicar algum dinheiro que tenha de parte ou receba.

2. Alargar o prazo do empréstimo

Proceder a esta alternativa, é possível reduzir a prestação a pagar todos os meses, mas na totalidade o crédito fica mais caro. Mais prestações implicam mais juros e esta modalidade vai estar sempre dependente da idade em que quer fazer esta alteração.

credito

3. Consolidação dos créditos

É natural que possua mais do que o crédito à habitação: talvez para o carro ou cartão de crédito. Juntá-los pode ser uma solução para reduzir o empréstimo da habitação, porque a taxa de juro global vai ser comum a todos. O crédito total pode ficar mais caro, mas mensalmente, vai pagar menos.

4. Pedir um período de carência

Se não tiver outra alternativa, é possível negociar com o banco ou outra entidade de crédito, um período de carência. Uma prestação do seu empréstimo é composta pelo capital (o que é realmente o valor do imóvel), mais o juros. Ao pedir um período de carência de capital, vai pagar só os juros. Contudo, é importante recordar que é uma solução temporária, e que a longo prazo, também aumenta o valor global do crédito, porque mais tarde vai ter de amortizar o que não pagou durante o período de carência. Pode ser, contudo, um alívio, numa altura mais complicada.

5. Diminuição do spread

Pode recorrer à sua instituição bancária e pedir uma redução no spread. Esta taxa é a margem de lucro dos bancos nos empréstimos. É complicado um banco concordar com uma redução destas taxas, mas pode tentar fazer esse pedido, para assim reduzir a sua prestação do empréstimo.

6. Mudança de seguro de vida

Fazer uma seguro de vida já não é uma obrigatoriedade no crédito à habitação, mas os bancos exigem-no, seja pelo simples motivo de salvaguardar as prestações no caso de qualquer eventualidade. Contudo, o banco tem de transmitir isto ao cliente, para que haja total liberdade de escolha no que diz respeito ao seguro. Se está a pensar trocar de seguro, ou fazer um, faça simulações e consulte as opções. A MAPFRE Seguros dá-lhe a possibilidade de fazer a simulação do seguro de vida para o crédito à habitação, e apresenta as soluções para um seguro mais competitivo, auxiliando no processo de transferência.

Veja também: