Esquentador ou cilindro: qual escolher?

Descubra as vantagens e desvantagens dos dois sistemas de aquecimento e escolha a melhor opção para si. 

Esquentador ou cilindro: qual escolher?
Qual deles será melhor: esquentador ou cilindro?

Uma das questões que é muitas vezes levantada quando se fala em poupança é o aquecimento, nomeadamente da água. E a verdade é que no mercado existem várias possibilidades, sendo duas delas o esquentador e o termoacumulador, mais conhecido como cilindro. Mas qual deles será o melhor, esquentador ou cilindro?

Na hora de escolher, a decisão nem sempre é simples e importa saber qual deles é o mais rentável, eficiente ou económico. O desconhecimento sobre o funcionamento destes dois equipamentos dificulta o processo de escolha. Para o ajudar vamos dizer-lhe quais as principais vantagens de cada um deles. No final, vai ver que escolher entre esquentador ou cilindro será mais simples.


Esquentador ou cilindro: que diferenças?

Escolher entre esquentador ou cilindro não é fácil. Mas o primeiro passo para tomar a decisão mais acertada passa por analisar as necessidades, o espaço e o número de pessoas em casa.  

Mas vamos por partes. Dentro de cada opção há várias possibilidades e ambos têm as suas vantagens e desvantagens. 
 

Os esquentadores

O esquentador é um equipamento sanitário de produção instantânea de água quente, o que significa que a água é aquecida num permutador exposto ao calor das chamas de queimadores, pelo que a saída de água quente é imediata. Estes necessitam de um combustível (como o gás propano, gás butano ou gás natural), mas não há qualquer limitação quanto à saída de água quente. 

Isto leva-nos às vantagens do esquentador:
  • Permite ter sempre água quente
  • Apenas consome energia quando a água quente está a ser usada, não tendo custos associados quando não está a ser utilizado
  • Ocupa menos espaço
  • É fácil de instalar (ainda que a instalação requeira um técnico especializado, é mais rápida e mais fácil do que a instalação de outros equipamentos como os cilindros) 
  • A água pode ser regulada entre 35 e 75ºC

Entre as desvantagens conta-se o facto de:
  • O caudal da água quente ser mais reduzido do que o da água fria, visto que para aquecer a água a velocidade desta tem que ser reduzida
  • Não ser possível garantir a temperatura a que a água sai
  • Poder desligar-se durante a sua utilização (o que pode não ser confortável para quem está a tomar banho e de repente leva com água fria)
 

Os cilindros  

Estes equipamentos podem funcionar a energia elétrica ou gás. São constituídos por um depósito que armazena a água, aquecida por uma resistência elétrica. Neste caso, ao contrário do esquentador, o aquecimento da água não é imediato, sendo necessário algum tempo até que a água possa ser utilizada. No entanto, é uma boa solução em termos da eficiência.

Entre as principais vantagens destaca-se o facto de:
  • Possibilitar o benefício das tarifas bi-horárias (no caso dos termoacumuladores elétricos), permitindo que a água seja aquecida às horas em que as tarifas elétricas são mais baixas
  • Acumular água até que seja necessária
  • Permitir escolher a temperatura de saída da água
  • Possibilitar ter o mesmo caudal de água quente e fria
Quanto às desvantagens
  • Gasta mais energia, visto que há consumo de energia para manter a água quente (mesmo que não seja usada)
  • É sempre necessário aguardar algum tempo até que a água aqueça e possa ser utilizada
  • Fornece uma quantidade de água limitada à capacidade do reservatório
  • Tem riscos acrescidos de corrosão, associados a potenciais fugas de água
  • Ocupa mais espaço (por ser necessário um reservatório)
 

O que escolher?

No fundo tudo depende das suas necessidades específicas. Por isso, antes de escolher analise bem os seus consumos de água quente e o espaço de que dispõe. Esperamos ter ajudado!

Veja também: