Publicidade:

As 10 estradas mais perigosas de Portugal

Antes de partir em viagem, planeie o itinerário e encontre alternativas às estradas mais perigosas de Portugal. Tome nota dos caminhos mais arriscados do país.

As 10 estradas mais perigosas de Portugal
Evite trânsito caótico, mau estado do piso e má sinalização

O trânsito caótico, o mau estado do piso, o descuido dos condutores e uma má sinalização bastam para uma combinação desastrosa. Antes de sair em viagem, conheça as 10 estradas mais perigosas de Portugal e evite acidentes.

As estatísticas comprovam que o problema da sinistralidade em terras portuguesas é grave. Ainda que o asfalto tenha sido alvo da preocupação pública e apresente melhorias em grande parte do país, a verdade é que os indicadores apontam a existência de verdadeiros “pontos negros” nas vias nacionais – o que se traduz em vias mortíferas. Fique a par de uma dezena de estradas onde deve ter atenção redobrada.

2017: subiram os números nas estradas mais perigosas de Portugal

De acordo com a Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), os últimos anos mostram uma diminuição significativa no número de vítimas do trânsito, com uma redução de 40%. Ainda assim, há um dado alarmante: 2017 foi um ano de aumento. É sabido que no final do mês de novembro eram contabilizados mais 1.900 acidentes e 53 mortos, face ao mesmo período do ano anterior.

Mesmo os acidentes com ciclomotores e motociclos voltaram a contribuir com força para o aumento do número de feridos e mortos – situação que vinha a abrandar nos últimos tempos.

A lista negra do trânsito nacional

Os dados não mentem e assustam: foram 460 mortos e mais 118 mil acidentes que compuseram a seguinte lista negra do trânsito no país, mas é certo que as tragédias não acontecem de forma equivalente por todo o território. No topo das cidades com maior número de vítimas nas estradas aparecem, por ordem, Porto, Setúbal e Lisboa.

No fim da lista aparecem os nomes das cidades do interior, sendo Bragança e Portalegre as regiões que registaram menos mortes. Lisboa lidera a lista quando assunto é o número de feridos graves, seguida do Porto.

as estradas mais perigosas de portugal

Mas, nem só a distribuição geográfica define o número das tragédias no trânsito, sendo o tipo de estrada também relevante na análise.

A ANSR mostra em relatórios que 36% das mortes acontece em Estradas Nacionais, outros 33% em arruamentos, 9,2% acontecem em auto-estrada, 9,2% nas estradas municipais, mais 5,9% em Itinerários Complementares e, por último, 1,9% em Itinerários Principais. Quem está habituado a conduzir pelo país conhece bem a realidade dessas vias e não deve ficar surpreso com a notícia de que as Nacionais encabeçam a lista do perigo. No entanto, ainda há mais a conhecer e a evitar quando partir para a estrada.

Excesso de velocidade, condução sob efeito de álcool e má conduta ao volante são, também, parte do problema, tal como a má sinalização, o mau estado do piso e a falta de estrutura. Fique a conhecer mais sobre o problema e saiba onde estão os temidos “pontos negros”.

Top 10 das estradas mais perigosas em Portugal: rotas a evitar


1. Estrada Nacional 1

Antes de ser construída e de ver a migração de grande parte do tráfego para a A1, esta era a principal ligação com o Norte de Portugal. A estrada passa por um sem número de pequenas e grandes localidades, mas o tráfego que parte em fuga às portagens parece não ligar a esse facto. Trânsito conturbado, excesso de veículos, peões e má sinalização são alguns dos factores perigosos que transformam alguns pontos da A1 em verdadeiras armadilhas.

2. Estrada Nacional 125

Longitudinalmente, essa via atravessa o litoral sul do Algarve, fazendo a ligação entre Vila do Bispo e Vila Real de Santo António. É sabido que a EN125 mostra uma exagerada taxa de acidentes rodoviários, contando com diversos “pontos negros”.

Sendo uma alternativa gratuita às portagens na A22, o aumento do tráfego resultou num número assustador: o aumento na sinistralidade disparou em 30%, face aos dados de 2012.

3. Estrada Nacional 2

Essa é a maior estrada em extensão do país, atravessando o nosso território de Norte a Sul: inicia em Chaves e encerra no Km 738, em Faro, passando por 11 distritos, quatro serras, oito províncias, 32 concelhos e 11 rios. Pela grandeza, não é difícil imaginar quantos troços necessitam de manutenção e anunciam acidentes.

4. Estrada Nacional 10

Por ligar um sem número de concelhos bastante povoados entre a margem sul e norte, comunicando com a A1, a A2, a A12 e a A9, essa é uma via muito concorrida e há perigos a evitar. A zona mais perigosa da EN10 está no quilómetro 128, margem norte, entre Alhandra e Forte da Casa.

5. Estrada Nacional 118

Pensada para ser a Marginal esquerda do Tejo, da fronteira a Lisboa, esta estrada funcionava como uma alternativa perfeita à N3, que funciona com o mesmo objetivo da N118 – neste caso, na margem oposta do Rio Tejo. É uma das Estradas Nacionais mais simples por ter um traçado quase sempre retilíneo e plano, mas o pequeno troço que fica na zona do Tramagal, em Abrantes, é particularmente sinuoso. Entre os anos de 2010 e 2015 fez 44 mortos e marcou a sua presença na lista negra das estradas mais perigosas – e mortais – do país.

6. Estrada Nacional 13

Até passar a funcionar a A28, era a EN13 a via principal de ligação entre o Porto e o Minho, sendo ainda uma importante comunicação rodoviária com o nosso país vizinho. Com a abertura da A28, essa estrada nacional passou a ser adaptada para o tráfego local, sendo parte de uma área urbana relevante. E é mesmo aí que o perigo acontece: nas zonas mais povoadas.

7. Estrada Nacional 109

A Estrada da Costa da Prata começava no Porto, junto da Ponte Luís I, e rumava para Leiria, passando entretanto por praias como Valadares, Esmoriz, Espinho, Mira, Ovar, Figueira da Foz e Termas de Monte Real. É o mau estado do seu piso que anuncia os muitos acidentes, especialmente quando esta condição é combinada com velocidade em excesso nas ultrapassagens – que contam com pouca visibilidade. Faz uso dessa via? Já sabe: atenção redobrada.

8. Estrada Nacional 18

De Ervidel a Guarda, atravessando o Rio Tejo na zona da Ponte de Portas de Ródão, encontramos mais uma das estradas mais perigosas de Portugal. Com a cobrança de portagens na A23, o trânsito não parou de crescer e, às linhas estreitas desta via, somaram-se zonas densamente arborizadas e um piso consideravelmente irregular – resultando na combinação ideal para acidentes de viação, especialmente nas alturas de pico do inverno.

9. Estrada Nacional 103

Começa perto de Viana do Castelo, em Neiva, onde encontra com a EN13, mas prolonga-se pelo lado Este do Alto Minho e pela enorme região Norte de Trás-os-Montes. Passa por Braga, Chaves, Vinhais e Bragança, onde encerra, e é caracterizada pela vista estonteante e por mostrar caminhos sinuosos. Poucas oportunidades seguras de ultrapassagem e o gelo nas alturas mais frias do ano resultam numa combinação perigosa e justificam a entrada da EN103 na nossa lista negra.

10. Estrada Nacional 4

A Estrada Nacional 4, ou Estrada do Alentejo Central, faz a ligação do Montijo até a parte final da A6, já próximo de Montemor-o-Novo. Segue em paralelo com a A6 e é uma alternativa bastante apetecível para quem quer evitar pagar portagens, mas o grande fluxo de pesados, os desníveis, as lombas, a má sinalização e o pavimento já há muito esquecido pelo poder público fazem desta Estrada Nacional uma das vias mais arriscadas para conduzir em Portugal.

As estatísticas mostram onde está a oportunidade do acidente e agora que já tomou nota dos principais “pontos negros” do trânsito nacional, pode planear as viagens e fazer as melhores escolhas. Seja prudente ao volante e contribua para a redução do número de vítimas nas estradas mais perigosas de Portugal.

Veja também: