Quanto dar de gorjeta no estrangeiro

Se se sentir grato por algum serviço ou refeição, é normal que queira deixar um agradecimento. Descubra qual a gorjeta no estrangeiro a dar em cada país.

Quanto dar de gorjeta no estrangeiro
Saiba qual a quantia correta a dar de gorjeta no estrangeiro

Encontra-se num restaurante na Hungria e o prato é, simplesmente, dos melhores que já experimentou. Acha que deve deixar gorjeta, porém não sabe ao certo o valor que será considerado razoável.

Para que não tenha que questionar os moradores locais, com os dados do World Atlas foi possível criar um guia da gorjeta no estrangeiro.

Eis a quantia razoável a dar de gorjeta no estrangeiro


dar gorjeta

Europa

Para mostrar a sua gratidão, o nível de gorjeta para oferecer nos seguintes países é de 5%: Bielorrússia, República Checa, Estónia, Moldávia, Portugal, San Marino.

O valor sobe para uns justificáveis 10% neste leque de países europeus: Albânia, Arménia, Áustria, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Croácia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Macedónia, Malta, Roménia, Sérvia, Eslováquia, Espanha, Suíça.

Contudo, se viajar para a Alemanha, Polónia, Ucrânia ou para o Reino Unido e quiser deixar gorjeta, o seu ato será mais valorizado se andar por volta dos 15%.

Para os seguintes países, não foi possível obter informações de gorjeta: Andorra, Azerbaijão, Bélgica, Chipre, Dinamarca, Finlândia, Georgia, Islândia, Liechtenstein, Luxemburgo, Mónaco, Montenegro, Holanda, Noruega, Eslovénia, Suécia e Cidade do Vaticano.

América do Norte

Na América do Norte, não foi possível averiguar o nível de gorjeta a atribuir, nomeadamente nos seguintes países: Bahamas, Barbados, Costa Rica, Dominica, Haiti, Honduras, Panamá.

Já em Antígua e Barbuda, a taxa de gorjeta deverá ser 5% em cima da taxa de serviço. Nos países como Belize, Cuba, República Dominicana, El Salvador, Granada, Guatemala, Jamaica, Nicarágua, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Trinidad e Tobago, a gorjeta deve ser à volta dos 10%.

No México considera-se aceitável uma gorjeta de 15% e no Canadá e nos Estados Unidos, 20%.

América do Sul

Já na América do Sul, o estudo sobre o nível correto da gorjeta no estrangeiro revelou algumas curiosidades. Por exemplo, alguns dos países onde não foi possível obter uma informação concreta foram Brasil, Guiana e Suriname. Ao passo que na Bolívia, na Colômbia e no Equador o mais correto é a gorjeta andar à volta dos 5%.

O nível de gorjeta sobre para 10% na Argentina, no Chile, no Paraguai, no Peru, no Uruguai e na Venezuela. Aqui não se observaram níveis de gorjeta superiores aos 10%.

Ásia

Sem dados suficientes para especificar qual a gorjeta a dar nos países como Birmânia (Myanmar), China, Índia, Japão, Coreia do Norte, Coreia do Sul, Malásia, Tajiquistão, Uzbequistão e Vietname, estima-se que na Ásia, os países cuja gorjeta deva rondar os 5% são: Afeganistão, Bahrein, Butão, Brunei, Camboja, Timor Leste, Indonésia, Jordânia, Cazaquistão, Kuwait, Quirguistão, Maldivas, Mongólia, Nepal, Omã, Singapura, Síria, Tailândia e Turquemenistão.

Se viajar para um dos países que se seguem: Bangladesh, Irã, Iraque, Israel, Laos, Líbano, Filipinas, Federação Russa, Sri Lanka, Turquia e Iémen, considere deixar a sua gratidão explícita em 10% de gorjeta.

A gorjeta deve chegar aos 15% no Paquistão, na Arábia Saudita e nos Emirados Árabes Unidos. Já no Qatar, deverá mesmo rondar uns bons 20%.

Oceânia

Já na Oceânia o cenário é complicado, pois não foi possível obter dados concretos de gorjeta em nenhum dos seguintes países: Austrália, Fiji, Kiribati, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Nova Zelândia, Palau, Papua Nova Guiné, Samoa, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu, Vanuatu.

África

Mesmo esta análise não tendo permitido saber qual a gorjeta considerada simpática na Argélia, na Burkina e na Líbia, foi possível saber que em países como Camarões, Cabo Verde, República Centro-Africana, Congo, República Democrática do Congo, Djibouti, Gana, Eritreia, Etiópia, Liberia, Malawi, Mauritânia, Maurícia, Marrocos, Nigéria, Ruanda, São Tomé e Príncipe, Senegal, Seychelles, Serra Leoa, Somália, Suazilândia, Tanzânia e Togo, a gorjeta deve rondar os 5%.

Se visitar Gâmbia, considere uma gorjeta de 7,5% em cima da taxa de serviço.

Angola, Benin, Botswana, Burundi, Chade, Comores, Egito, Guiné Equatorial, Gabão, Guiné, Guiné-Bissau, Costa do Marfim, Quénia, Lesoto, Madagáscar, Mali, Moçambique, Namíbia, Níger, Sul do Sudão, Sudão, Tunísia, Uganda, Zâmbia e Zimbabwe consideram justa uma gorjeta de 10%.

Em África, o único país onde a gorjeta deve ser significativamente maior é em África do Sul: 15%.

Veja também: