Linfoma de Hodgkin: sinais e tratamento

O Linfoma de Hodgkin ocorre mais frequentemente em jovens do sexo masculino.

Linfoma de Hodgkin: sinais e tratamento
Saiba o que é, os sinais que apresenta e os tratamentos mais utilizados

O Linfoma de Hodgkin ou Doença de Hodgkin é uma neoplasia maligna do sistema linfático e caracteriza-se pelo aumento do volume dos gânglios no pescoço, no tórax ou em outros locais.

Este linfoma também se pode chamar doença de Hodgkin, devido ao facto de ser um tipo de cancro que tem geralmente bom prognóstico e poder ser curado se detectado numa fase precoce. Pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas ocorre mais frequentemente em jovens adultos dos 25 aos 30 anos do sexo masculino. A doença de Hodgkin também pode ocorrer em pessoas mais idosas.

A percentagem do aparecimento de novos casos permaneceu estável nas últimas cinco décadas, enquanto a mortalidade foi reduzida de 40% nos anos 70 para 10% em 2010 devido aos grandes avanços que obteve a nível de tratamento e do diagnóstico precoce.

As causas para a ocorrência do Linfoma de Hodgkin ainda são incertas.
 

Sintomas do Linfoma de Hodgkin

Os principais sinais e sintomas de linfoma de Hodgkin são:
  • Perda de peso repentina e sem razão aparente;
  • Inchaço indolor dos gânglios linfáticos do pescoço, axilas ou das virilhas;
  • Tosse;
  • Dificuldade em respirar;
  • Dor no peito;
  • Coceira;
  • Fadiga persistente;
  • Perda de apetite;
  • Prurido intenso na pele;
  • Febre e calafrios;
  • Suores noturnos;
  • Aumento da sensibilidade aos efeitos do álcool.
 

Tratamento de Linfoma de Hodgkin

Existem vários tipos de tratamento para linfoma de Hodgkin que variam de caso para caso. O principal objetivo é destruir o maior número possível de células cancerígenas, fazendo com que a doença entre em fase de remissão.


Quimioterapia

A quimioterapia é um tratamento à base de medicação que utiliza produtos químicos que viajam através da corrente sanguínea e destroem as células causadoras do linfoma. Este é o tratamento mais utilizado nos mais diversos tipos de cancro.
A quimioterapia é muitas vezes aliada à radioterapia em casos com linfoma de Hodgkin em fase inicial.
 

Radioterapia

A radioterapia utiliza raios de alta energia, como raio-x, para matar as células cancerígenas. A terapia de radiação pode ser utilizada isoladamente como tratamento do linfoma de Hodgkin clássico, mas é mais comum ser utilizada após a quimioterapia.
Nos casos em que os doentes se encontram em estágio inicial de linfócitos-predominantes de Hodgkin, geralmente, só passam por sessões de radioterapia.


Transplante de medula óssea

O transplante de medula óssea é uma opção para os os casos dos pacientes em que o linfoma de Hodgkin já se encontra num estado avançado ou, também, para o tratamento de linfoma reincidente.
O objetivo é substituir a medula óssea doente por células-tronco saudáveis, de forma a dar origem a uma nova medula saudável. 

Veja também: