Como manter o bebé quente nas noites frias de inverno

O Inverno instalou-se por uns tempos e as noites frias são uma preocupação constante para os pais.

Como manter o bebé quente nas noites frias de inverno
Verina Fernandes é especialista em sono materno-infantil

Os bebés destapam-se com muita frequência, muitas vezes pouco depois de adormecerem. Saiba como garantir o conforto para um descanso perfeito e, ao mesmo tempo, prevenir constipações e outras complicações.


“Mãos frias, coração quente”?

Os bebés recém-nascidos têm sempre as mãos frias, o que gera dúvidas quando ao seu bem-estar, principalmente quando choram. A melhor zona para atestar se o bebé está quentinho é nas costas, imediatamente abaixo do pescoço. Basta encostar o dorso da mão neste local e acabam-se as dúvidas e os palpites!
 

Quarto ameno

Chegada a hora de dormir, a tentação de aquecer o quarto é grande, porque os pais querem oferecer o conforto máximo ao seu filhote. No entanto, a temperatura da divisão onde o bebé dorme deve ser controlada. O ideal será não exceder os 20-21ºC, por duas razões essenciais:
  • Há uma correlação entre ambientes de sono acima dos 22ºC e o aumento da incidência da Síndrome da Morte Súbita da Lactente (SMSL);
  • Aquecedores com termóstatos regulados para temperaturas altas secam muito o ar, podendo originar distúrbios ao nível das vias respiratórias particularmente sensíveis de uma criança.
bebe 

Swaddling, sim ou não?

A tradição que se julgava esquecida de enfaixar o bebé tem ressurgido nos últimos anos, com o intuito de ajudar a acalmar os recém-nascidos, mimetizando o abraço dos pais e o aconchego da barriga da mãe. No entanto, esta prática não está aconselhada para longos períodos de sono não monitorizado. O swaddling pode ser uma forma de serenar o bebé mas, assim que este adormecer, o “casulo” deve ser desfeito, por questões de segurança.

Por volta dos 3 meses, o bebé começa a aprender a rolar e a rodar sobre o próprio corpo. Se não tiver as mãos livres para se apoiar, pode ver-se em alguma situação de risco, aumentando o risco de incidência de asfixia acidental ou de morte súbita (SMSL).



Um saco para dormir

A melhor alternativa ao swaddling é mesmo o saco de dormir: também é aconchegante; mantém o bebé sempre coberto, mesmo que role e rebole pela cama toda; e torna-se muito prático de utilizar.

Encontram-se vários modelos no mercado, pelo que surge a pergunta frequente: “qual o melhor ou mais adequado?”. Depende. O modelo com manga comprida será melhor para o inverno mas a versão sem manga pode ser utilizada durante todo o ano. Pode comprar um saco sem mangas dois tamanhos acima, para usar durante mais tempo mas já não será tão aconchegante para o bebé. A resposta não é linear para todos.
 


Bebé-cebola

A melhor forma de garantir que o bebé se mantém quente durante toda a noite resume-se a vestir várias camadas de roupa (como uma cebola!), que se possam remover facilmente, caso transpire: body de manga comprida, em algodão cardado; meias; macacão com pés ou babygrow (é preferível ao pijama de duas peças, porque mantém a mesma temperatura dos pés ao pescoço, sem fugas); um casaco suplementar, se necessário. Se utilizam o saco de dormir, este conta como uma camada.

Vá verificando a temperatura do bebé na base do pescoço dele, para perceber se está confortável. E nunca será demais relembrar que a roupa deve ser de fibra natural (algodão), por deixar circular o ar e, ao mesmo tempo, absorver alguma humidade.

Uma questão recorrente dos pais é a utilização dos gorros para proteger a cabeça do bebé. Note-se que é pelo pescoço e cabeça que o bebé perde calor, de forma a regular a temperatura corporal. Faz todo o sentido colocar o gorro quando vai passear com o bebé para a rua mas dentro de casa e, principalmente, durante o sono, o seu uso é desnecessário e pode até causar sobreaquecimento, desconforto e ansiedade. Muitas vezes, a criança desloca o gorro com os movimentos que faz com a cabeça e é comum ficar com os olhos tapados ou numa outra posição incómoda.

Caso pratique o swaddling durante uma sesta, por exemplo, use fraldas ou panos finos e não mantas, para evitar o sobreaquecimento e até a desidratação da criança.  
 

bebe

Lençóis, cobertores, edredões e afins

Como os bebés dormem durante longos períodos em sono REM, mexem-se muito durante o sono, chegam a virar os pés para a cabeceira da cama e, por isso, a melhor estratégia para prevenir que se destapem e fiquem frios ou que tapem o rosto e que asfixiem acidentalmente é mesmo abolir completamente lençóis, cobertores, mantas, edredões. Mais uma vez, o saco de dormir é o seu melhor aliado neste ponto.

Muitos pais não descansam se não virem uma manta que seja sobre a criança; parece-lhes fria uma cama sem um cobertor numa noite de inverno. Se assim for, utilize apenas uma peça, de tecido leve e natural e, claro, confirme sempre se o bebé não está demasiado quente.

Veja também:

Continuar a Ler
Verina Fernandes Verina Fernandes

Verina Fernandes é Consultora de sono materno-infantil, certificada pelo International Maternity and Parenting Institute (IMPI). Mestre em Ciências Farmacêuticas, mãe e mentora de Sono de Sonho, ajuda diariamente grávidas, pais, bebés e crianças a adquirir bons comportamentos de sono, para um dia-a-dia mais feliz, pleno e tranquilo.