O que visitar em Madrid: 11 museus e atrações obrigatórias

Capital de Espanha e maior cidade do país, são inúmeros os pontos de interesse que deve visitar em Madrid. Aqui apresentamos-lhe 11 absolutamente essenciais.

O que visitar em Madrid: 11 museus e atrações obrigatórias
Da Puerta del Sol ao Prado, os ex libris de uma cidade única

Uma das capitais mais intensas e vibrantes da Europa, são inúmeros os pontos de interesse que tem mesmo de visitar em Madrid. Colorido centro cosmopolita, urbano e moderno, a capital espanhola, cujo primeiro impacto é causado pelo impressionante património arquitetónico, consegue ainda conjugar um infindável apetite cultural, artístico e musical com a determinação em preservar as suas tradições.

Para que não perca as principais atrações de uma cidade que já se impôs como uma verdadeira ode à alegria de viver, apresentamos-lhe 11 destinos que não pode deixar de visitar em Madrid. Siga-nos e deixe-se seduzir: garantimos que são mesmo imperdíveis!
 

As 11 atrações que não pode deixar de visitar em Madrid


Santiago Bernabéu

O velho estádio de Chamartín, que há muito alberga o nome do grande presidente merengue é local de visita obrigatória para os aficcionados do grande emblema madrileno. A visita a La Casa Blanca, como também é conhecido o Real Madrid, ao seu museu e à loja é uma das grandes atrações da cidade. Um fã de futebol não pensa duas vezes quando se pergunta o que quer ver em Madrid: o Santiago Bernabéu, por supuesto. O preço do bilhete para visitar o museu do clube e o estádio começa em 14€.
 


Museu Thyssen-Bornemiza

Situado no vértice norte do triângulo da arte que forma juntamente como Prado e o Rainha Sofia, o Museu Thyssen-Bornemiza alberga a famosa coleção Carmen Thyssen-Bornemiza que inclui obras de van Gogh, Monet, Sisley, El Greco, Jan van Eyck, Courbet, Renoir, Pollock, Mondrian e tantos outros... Os bilhetes reduzidos custam 8€ e o passe geral 12€, contudo, todas as segundas-ferias entre o meio dia e as 16h a entrada é gratuita. 
 


Catedral de la Almudena

almudena

A sede episcopal da diocese de Madrid situa-se no centro da cidade, em plena plaza de Armería, em frente ao Palácio do Oriente. 

A maravilhosa catedral é um local de presença obrigatória na lista do que visitar em Madrid. Palco das bodas reais, forma conjunto com o Palácio Real, motivo pelo qual tem uma orientação norte-sul, ao contrário da habitual este-oeste.
 


Gran Vía

A Gran Vía faz jus ao seu nome. Com as suas lojas imponentes, os teatros e cinemas, os prédios altos com fachadas elaboradas - como a do maravilhoso Metropolis -  com decorações e estilos que tornam a visita à Gran Vía uma autêntica aula de arquitetura e escultura. De paragem obrigatória, se bem que a alguma distância para se ter a verdadeira perspetiva do conjunto, é o edifício da Telefónica, que durante décadas ostentou o título de edifício mais alto de Espanha e um dos mais altos da Europa. Passear na Gran Vía é, e sempre foi, a melhor forma de sentir a pulsação desta vibrante metrópole. 



Museu Rainha Sofia

Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia é um dos mais importantes museus de arte moderna da Europa. O seu nome presta homenagem à Rainha Sofia, mãe do atual monarca Felipe VI e é um dos museus mais visitados de Espanha. A sua extraordinária coleção de arte moderna rivaliza com o Centro Pompidou em Paris ou com a Tate em Londres, na qualidade e na quantidade de obras apresentadas.

Os grandes nomes da pintura espanhola do século XX estão todos representados, como Dalí, Picasso, Miró, Gris ou Tàpies, mas também os artistas estrangeiros como Kandinsky, Braque, Bacon, Rothko ou Lichtenstein têm lugar neste extraordinário museu onde poderá encontrar a genial Guernica de Pablo Picasso. A entrada custa 12€, mas existem diversos descontos e há dias e horários especiais gratuitos
 


Templo de Debod

Debod

A dois passos da Plaza de España encontra-se o templo egípcio de Debod, um dos monumentos mais visitados de Madrid. 
templo de Debod foi oferecido pelo Egito à Espanha em 1968 como agradecimento da ajuda do governo de Madrid ao governo do Cairo no salvamento dos monumentos em risco de submersão aquando da construção da barragem de Assuão. Com cerca de 2200 anos de idade, é um raro exemplo da arquitetura núbio-egípcia fora do país do Nilo.
 


Puerta del Sol

Um dos lugares mais movimentados e visitados de Madrid, a Puerta del Sol resulta de um dos portões da muralha que rodeava a cidade no séc. XV.  Orientada a Este, a entrada do monumento foi decorado com um sol nascente, o que explica  o seu nome.

Neste local, podemos destacar algumas atrações turísticas, sendo a principal “El Oso y El Madroño”: símbolo de Madrid por excelência, esta estátua de 10 toneladas retrata um urso a comer fruta a partir de um medronheiro – segundo consta, o nome original de Madrid era Ursaria (Terra dos Ursos, em latim), devido ao elevado número destes animais que existia nas florestas adjacentes, juntamente com as referidas árvores. 

Ainda na Puerta del Sol sugerimos que não deixe de visitar a Real Casa de Correos, um bela casa de tijolos vermelhos, em cuja torre se encontra o famoso relógio que marca as 12 badaladas e a entrada no Ano Novo. De seguida, dada a sua posição central, acreditamos que não lhe escapará a enorme e imponente estátua equestre do Rei Carlos III. Por fim, para quem aprecia fazer compras, destacamos que uma das ruas mais comerciais da cidade, a Calle Preciados, começa neste ponto, terminando depois na Plaza Callao, na Grand Via.

Curiosidade: este é o centro da rede de estradas espanholas, ou seja: é o quilómetro 0! Divirta-se a procurar a placa relativa a este facto - dica: está em frente a uma das atrações referidas acima.

 

Palacio Real

Numa metrópole com tantos edifícios semelhantes a castelos que pensará ter entrado num conto de fadas, não podemos deixar de recomendar uma visita ao Palácio Real que, apesar já não ser habitado, mantém o seu estatuto de residência oficial da realeza. Construído na localização da antiga fortaleza de Alcazar, um castelo mouro, este é o maior edifício de Madrid e o maior palácio real da Europa Ocidental.

Edifício com uma imponência absolutamente intransponível, o Palácio Real prevê 2.800 opulentas divisões, com decorações de época e peças de arte de valor inestimável. Além destas atrações, são de referência obrigatória o Salão do Trono, o Salão dos Espelhos, o Salão de Colunas e a Capela Real, com a sua coleção de instrumentos de corda produzidos por Antonio Stradivari. Por fim, digna de visita é também a Galeria de Pintura, com obras de mestres como Goya, El Greco e Velazquez.

Curiosidade/Dica: o render da guarda tem lugar todas as quartas-feiras, às 12h00, na Puerta del Principe (em julho, agosto e setembro a cerimónia não se realiza).
 


Plaza Mayor

Plaza Mayor

Devido à sua posição central, esta praça sempre teve um papel estratégico na vida da cidade, funcionando como mercado, praça de touros, local de coroações e até espaço para julgamentos da Inquisição. No entanto, com uma estrutura retangular de 129x94m, nove entradas, edifícios históricos de três pisos e um total de 237 varandas voltadas para o interior, a Plaza Mayor não só a principal praça de Madrid, é também a mais bonita.

Apesar de a maioria dos edifícios da praça serem residenciais, por baixo das arcadas que a contornam poderá encontrar uma extensa oferta de cafés e restaurantes, bem como bares de tapas. Enquanto descontrai um pouco num destes espaços, aproveitando para mergulhar na intensa e colorida vida da Plaza Mayor, estamos seguros que não deixará de apreciar a estátua de bronze do Rei Filipe III, criada em 1616 por Giovanni de Bologna: está sitiada mesmo no centro.

Curiosidade: o restaurante mais antigo do mundo, o Botín, está situado na Plaza Mayor – o seu ano de fundação foi 1725.
 


Museo Nacional del Prado

Museu do Prado é certamente um dos museus mais famosos do mundo e não admira que encabece a sua lista do que ver em Madrid. O Prado alberga uma das mais extraordinárias coleções de pintura do mundo, com grande destaque para a pintura espanhola do Siglo d'Oro e para as obras de Francisco Goya, mas também para grandes nomes do renascimento italiano ou da escola flamenga.

Entre os preferidos dos visitantes contam-se «As Meninas» de Velázquez, mas também O Jardim das Delícias Terrenas de Hieronymus Bosch, ou as obras primas de Goya, onde se incluem as Majas, Saturno comendo o filho ou o Três de Maio. O passe geral custa 16€, mas há dias e horários especiais de entrada gratuita. Informe-se antes de visitar a cidade para saber qual a melhor altura para conhecer o museu sem custos. 

Curiosidade: Velazquez auxiliou o museu na sua recolha de várias obras de arte espanholas e italianas, fornecendo ainda exemplos inestimáveis do seu próprio trabalho, como o quadro Las Meninas.
 


Parque del Buen Retiro

retiro

Quem sobe o passeio dos Recoletos, passando pela Cibeles em direção à Porta de Alcalá, encontrará o extraordinário Parque do Retiro, local de visita obrigatória. Em particular o seu lago e o monumento a Afonso XII, onde os locais adoram assistir ao pôr-do-sol. 


Com a ausência de um rio de caudal significativo e com a praia mais próxima em Albacete, não é de estranhar que no verão este imenso parque seja a “praia” de Madrid. 
No parque não pode ainda perder a Porta de Espanha, a fonte do Anjo Caído, o passeio das estátuas, o Palácio de Cristal e a Casa de Fieras.

Curiosidade: a fonte mais fascinante do parque é dedicada ao Diabo... trata-se da Fonte do Anjo Caído, de Rocardo Bellver.

Com esta lista de 11 verdadeiros ex libris da capital espanhola, esperamos tê-lo ajudado a definir alguns locais que não pode mesmo perder quando visitar Madrid. Divirta-se e boa viagem!

Veja também: