Ofertas de emprego por atividade económica: evolução da média anual

Conheça os dados relativos à evolução da média anual das ofertas de emprego por atividade económica, para desempregados registados no IEFP.

Ofertas de emprego por atividade económica: evolução da média anual
Evolução da média anual das ofertas de emprego por atividade económica

Ofertas de emprego por atividade económica: conhece os dados relativos ao nosso país? Em Portugal, os números relativos ao desemprego são, como é do conhecimento público, altos e preocupantes.

Há, efetivamente, cada vez mais indivíduos registados no IEFP, à procura de emprego, nos setores primário, secundário ou terciário, de acordo com as habilitações de cada um, tendo em conta a formação e perfil de cada trabalhador.

Se procura emprego ou conhece quem se encontre atualmente nesta situação, analise, de seguida, os dados da Pordata relativos à média anual de ofertas de emprego por atividade económica, para desempregados registados no IEFP. A evolução terá em conta, como ponto de partida, o ano de 1997, em contraste com os dados do ano de 2016.

Dados da evolução da média anual das ofertas de emprego

1. Média Geral

Se tivermos em consideração a média geral, em 1997, as ofertas de emprego correspondiam a uma percentagem de 7,7%, evoluindo para 13.3%, em 2016. Pode constatar-se que, de forma geral, as ofertas de emprego por atividade económica atingiram um pico em 2014, quando alcançaram uma percentagem de 16,4%.

2. Setor Primário

No que diz respeito ao setor primário, em 1997, as ofertas de emprego eram de 0,4%, passando para uma percentagem de 0,8%, em 2016. Através da análise dos dados que se referem a este setor, constata-se que 0,8% foi, efetivamente, o valor mais elevado atingido nos últimos anos, verificando-se esta percentagem não só em 2016, como também em 2013 e 2014.

3. Setor Secundário

No que concerne o setor secundário, em 1997, as ofertas de emprego correspondiam a 2,4%. Em 2016, as ofertas cresceram para 3,4%. Focando este setor em particular, verifica-se que o valor máximo de ofertas relativas a este setor teve lugar em 2014, alcançando a percentagem de 4,9%.

4. Setor Terciário

Tendo em consideração o setor terciário, as ofertas de emprego alcançavam, em 1997, um total de 4,8%, evoluindo para uma percentagem de 9,1%, em 2016. Se analisarmos o ponto máximo de ofertas de trabalho neste setor, identificamos o ano de 2014 como aquele em que mais ofertas houve, atingindo uma percentagem de 10.7%.

Esta breve análise de dados relativos à média de ofertas de emprego por atividade económica, para desempregados registados no IEFP, permite-nos concluir que o setor que, recentemente, mais tem ofertas é o terciário. Há, pois, nos anos mais recentes, mais ofertas de emprego neste setor, em comparação com os restantes.

Veja também:

Catarina Mesquita Catarina Mesquita

Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, Pós-Graduada em Linguística Portuguesa e Mestre em Estudos Portugueses Multidisciplinares, possui experiência de mais de quinze anos ao serviço da educação, da tradução e da escrita.