Portugueses continuam a retirar dinheiro dos certificados de aforro

Dados divulgados em Fevereiro pelo Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP) revelam que, em Janeiro deste ano, o saldo líquido deste produto de poupança foi negativo.

Portugueses continuam a retirar dinheiro dos certificados de aforro

Os portugueses retiraram 47 milhões de euros dos certificados de aforro - 59 milhões de euros foram aplicados nestes produtos de poupança, mas foram resgatados 106 milhões. No total do último ano, os portugueses optaram por retirar deste produto de poupança do Estado mais de 300 milhões de euros.


A queda das Euribor, taxa interbancária à qual está indexada a remuneração dos certificados, tem ajudado à fuga deste produto de poupança pela sua baixa rentabilidade.


De relembrar que, no início de Fevereiro, o Governo vaticinava um aumento da procura dos certificados de aforro face a 2009. Porém, no último ano foi retirado um total de 327 milhões de euros destes títulos, devido à baixa remuneração. Em 2009 foram mais de 30 mil, os investidores que deixaram de acreditar naquela forma de poupança.


Se no ano passado, a procura traduziu-se na emissão de 847 milhões de euros, a expectativa do Executivo socialista para este ano é de que suba para os 1.200 milhões de euros. Mas, atendendo aos resultados de Janeiro, os certificados de aforro estão antes a perder investidores.


Em Fevereiro, quem subscreveu certificados contou com uma taxa de juro anual bruta de 0,824 por cento, a mais baixa de sempre, segundo a análise do “Jornal de Negócios”.
Ainda assim, e segundo o boletim do IGCP, os portugueses mantêm aplicados 16.824 milhões de euros em certificados de aforro.