AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

4 Dicas para poupar estando a estudar no estrangeiro

Uma das principais preocupações de quem pretende ou vai estudar para fora do país são os gastos. Mas há algumas dicas que o vão ajudar a poupar estando a estudar no estrangeiro. Saiba quais.

4 Dicas para poupar estando a estudar no estrangeiro
Com alguns cuidados adicionais vai poder economizar alguns euros.

Estudar no estrangeiro tem diversas vantagens, que vão desde o contacto com diferentes línguas e culturas ao enriquecimento do Curriculum Vitae (CV), por exemplo. Mas tem também algumas desvantagens, sendo uma das principais o investimento e os gastos que envolve. Ainda assim, se pretende fazer um intercâmbio académico saiba que existem alguns cuidados adicionais que o podem ajudar a poupar estando a estudar no estrangeiro. Ora veja.
 

Poupar dinheiro a estudar no estrangeiro: como?

Os gastos são, sem dúvida, uma das principais preocupações de quem pensa em estudar no estrangeiro. Mas é possível “poupar uns trocos” durante a sua aventura estudantil internacional, só precisa de saber organizar os seus gastos. Analisar o custo de vida do país de destino, os valores das propinas dos cursos ou os preços de alojamento ou transportes ainda antes de partir é o primeiro passo ser bem-sucedido nessa missão. Mas há mais. As dicas que lhe deixamos agora vão ajudá-lo.
 

1. Tenha atenção às taxas de câmbio

Se for para um país cuja moeda em vigor que não seja o euro, deve antes de partir estudar as taxas de câmbio. Mas vamos por partes. Antes de mais importa que perceba o que é a taxa de câmbio. Dito de forma simples, trata-se do valor do seu dinheiro noutro país. Ainda antes de sair deve analisar esta taxa para perceber quanto lhe vão custar as operações bancárias, como os levantamentos de dinheiro ou pagamentos, por exemplo. Isto porque podem acarretar custos adicionais elevados. Por isso, informe-se antes de partir sobre valor da moeda local e depois vá monitorizando as possíveis alterações a este valor. O Banco de Portugal disponibiliza um conversor de moeda online que lhe permite calcular estas taxas de forma simples ou, se preferir, pode sempre procurar aplicações móveis que o façam.

 

2. Anote os gastos

Seja em euros ou noutra moeda, deve ser anotar os gastos que vai tendo. Desta forma mantem um registo das suas despesas e aprende a restringir gastos desnecessários.

 

3. Limite o número de levantamentos de dinheiro

Sempre que levanta dinheiro no estrangeiro o seu banco cobra-lhe uma taxa, que ainda que não seja muito elevada, ao fim de alguns levantamentos pode contabilizar uma quantia generosa. Por isso, embora não seja aconselhável andar com quantias de dinheiro muito elevadas no bolso, tente limitar o número de vezes que recorre ao Multibanco para levantar dinheiro. O ideal é que em vez de levantar dinheiro várias vezes por semana, tente fazê-lo o mínimo de vezes possível. Opte por levantar quantias mais elevadas que possam fazer face às suas despesas mensais, por exemplo. Claro que deve depois guardar o dinheiro num sítio seguro e trazer consigo apenas as quantias mínimas para os seus gastos diários.

 

4. Faça um orçamento

Ao definir um orçamento base para o tempo que vai estar a estudar no estrangeiro vai poder balizar os seus gastos. Esteja atento ao seu saldo bancário e contabilize todos os gastos para garantir que não foge ao orçamento planeado. Assim, até vai poder saber quais as despesas que pode cortar e, se preferir, aplicar esse dinheiro numa viagem pelo país onde vai estudar, por exemplo.

 

Outras dicas úteis

Há sempre forma de reduzir os gastos. Por exemplo, em vez de usar transportes públicos, pode andar a pé na cidade ou usar uma bicicleta (há vários países onde é prática comum); pode optar por companhias aéreas low cost para as suas viagens; deve reduzir as refeições em restaurantes; em vez do telefone, pode usar a internet para falar com amigos e familiares e para comunicar com os seus colegas no país onde está a estudar pode adquirir um contacto de uma das redes operadores nesse país, reduzindo assim os custos associados ao roaming, por exemplo. Como vê, poupar não custa assim tanto, só precisa de saber onde poupar!


Estudar no estrangeiro pode representar um encargo signficativo, mas pode sempre  contar com o Crédito Pessoal Formação da Cofidis para lhe dar uma ajuda a concretizar o seu sonho de estudar fora de portas. A solução passa por um crédito que não hipoteque o seu futuro sem custos de abertura, comissões, fiadores ou avalistas, o prazo, a taxa e as mensalidades são fixas e o financiamento dos seus estudos pode chegar aos 100%.
 
Valorize-se profissionalmente... Saiba como com o nosso Simulador de Emprego e Formação >>
Veja também: