Pudim abade de Priscos: história e receita

O pudim abade de Priscos é uma sobremesa dos deuses: conheça aqui a sua receita e toda a sua história.

Pudim abade de Priscos: história e receita
Receita e história de um doce divinal

A história do pudim abade de Priscos está relacionada com a importância de um abade da freguesia de Santiago de Priscos, em Braga.

Este abade, considerado um dos melhores cozinheiros do século XIX, nasceu em Santa Maria de Turiz (Vila Verde) em 1834 e faleceu em 1930, tendo servido a paróquia de Priscos durante 47 anos. Além dos dotes culinários, pelo que ficou famoso, era ainda conhecido por ser habilidoso a passar a roupa, a costurar e a bordar.

Abade de Priscos: conheça a sua história e receita

Apesar dos muitos dotes deste abade, foi o seu pudim que o imortalizou, sendo ainda hoje considerada uma das iguarias mais deliciosas do país, representando ao mais alto nível a região do Minho. O doce pudim abade de Priscos tem atualmente uma confraria cuja missão é preservar a receita original do pudim, bem como outras deixadas pelo abade.

De entre os vários episódios representativos da importância deste abade e das suas produções culinárias está o relato de quando o rei D. Luís e a família real visitavam o norte do país, evento que teve a responsabilidade gastronómica a cargo do abade. Impressionado com a qualidade dos pratos, D. Luís quis conhecer o cozinheiro.

Desse encontro diz-se que o rei indagou acerca de um ingrediente que o abade identificou como sendo palha. Espantado com a resposta, o monarca perguntou se achava bem servir palha ao rei. Ao que o  abade respondeu que tudo dependia da forma como ela era servida, evidenciando, deste modo, os seus afamados dotes culinários.


Pudim Abade de Priscos

Ingredientes
15 gemas de ovo
500g açúcar
1/2l água
50g toucinho de presunto
1 cálice de vinho do Porto
Caramelo líquido
1 pau de canela
Casca de limão

Modo de preparação
1. Parta o toucinho em lascas muito finas.
2. Num tacho, leve ao lume a água, o açúcar, o toucinho, a casca de limão e o pau de canela. Deixe ferver até atingir o ponto de fio.
3. Passe depois a mistura por um coador e deixe arrefecer.
4. Num recipiente, bata as gemas muito bem e junte,  de seguida, o vinho do Porto.
5. Incorpore esta mistura na calda arrefecida, mexendo sempre.
6. Coloque o pudim numa forma coberta com o caramelo líquido, tape e leve ao forno quente a cozer em banho-maria, durante cerca de 40 minutos.

Deixe-se convencer pelos sabores divinais de uma receita que não deixa ninguém indiferente.

Veja também: