Reprogramar a centralina: os prós e contras

Quer aumentar a potência do seu carro e, para isso, está a pensar reprogramar a centralina? Saiba mais sobre este processo agora mesmo.

Reprogramar a centralina: os prós e contras
Conheça agora as vantagens e desvantagens

São muitos os condutores que pretendem aumentar a potência máxima dos seus automóveis e, para isso, optam por reprogramar a centralina.

No que consiste a reprogramação da centralina?

Quando falamos em reprogramar a centralina referimo-nos à alteração (e otimização) do software do carro que controla o real desempenho do motor.

Este sistema não implica uma mudança na mecânica do automóvel e promete aumentar a potência do veículo a um custo relativamente acessível.

Os técnicos que procedem a esta operação garantem que, depois da reprogramação da centralina, a aceleração é melhorada, as ultrapassagens são mais fáceis e a recuperação do motor é mais rápida.

Como é feita a reprogramação?

Todo o processo é eletrónico. Através de um computador, é feita a leitura e diagnóstico do veículo através dos mapas que dizem respeito à injeção do combustível ou à pressão do turbo.

Feita a análise, procede-se à alteração das definições dos mapas mediante os resultados pretendidos na fiabilidade e nos consumos, por exemplo. No final, o ficheiro modificado é reprogramado na centralina.

Vantagens em reprogramar a centralina

Comecemos pelas maravilhas desta “alteração genética”:

Ganhos na potência

Os especialistas garantem que, depois de reprogramar a centralina, o automóvel consegue aumentar os ganhos de potência em 30% em relação aos valores declarados em fábrica.

Menor consumo

Em alguns casos, o consumo médio de combustível pode diminuir à conta da menor dependência da utilização da caixa de velocidades.

Totalmente reversível

Se não ficar satisfeito com esta operação, pode revertar o processo e voltar aos valores de fábrica já que todos os valores originais são armazenados e encriptados na centralina.

Reprogramação indetetável

Hoje em dia, são muitas as oficinas que garantem que reprogramar a centralina é totalmente indetetável, o que lhe permite cumprir todos os requisitos necessários nas Inspeções Periódicas Obrigatórias. Mas será mesmo assim? Já lá vamos.

Desvantagens em reprogramar a centralina

Sim, é verdade: nem tudo é “um mar de rosas”:

Custos associados

Ainda que diversos profissionais ofereçam este serviço a um custo bastante acessível, não se esqueça que esta alteração terá implicações diretas em outras peças do automóvel: com o aumento da potência do motor também está a exigir mais aos filtros de partículas (que poderão entupir mais rapidamente), à embraiagem (passa a estar sujeita a maior pressão, por exemplo), não esquecendo os sistemas de travagem e suspensão (que terão de ser reforçados).

Garantia automóvel

Ainda que haja a garantia de que a reprogramação da centralina é indetetável, este tipo de alterações é proibida pelo fabricante e, por isso, perde imediatamente a sua garantia em caso de deteção.

Legalidade da operação

Em Portugal, operações de alteração das definições originais do motor (com exceção das modificações feitas pelos próprios fabricantes) são proibidas e, por isso, reprogramar a centralina é ilegal.

Veja também:

Continuar a Ler