As 10 ruas mais caras de Portugal

É em Lisboa, Cascais, Algarve e Porto que pode encontrar as ruas do país onde é mais caro comprar casa. Saiba quais são.

As 10 ruas mais caras de Portugal
Conheça os resultados deste estudo do Idealista

Está à procura de casa e quer conhecer o mercado? Se não quer gastar muito, há pelo menos 10 ruas a evitar em Portugal. Nestas ruas a habitação é sobretudo de luxo, com preços a variar entre os 1,5 e os 3 milhões de euros. Claro que se ganhou o Euromilhões estas podem ser hipóteses a considerar.

Segundo um estudo do Idealista, o marketplace imobiliário de Portugal, os dez primeiros lugares desta lista distribuem-se entre Lisboa, Cascais, Quarteira, Porto, Oeiras, Estoril e Almancil.

As 10 ruas mais caras de Portugal

Localizada mesmo no centro de Lisboa, a Rua do Salitre é a morada com a habitação à venda mais cara no nosso país. Nesta rua, os proprietários pedem, em média, 2,9 milhões de euros a quem quiser adquirir um dos seus luxuosos imóveis.

Em segundo lugar, surge a Avenida Brasil, em Cascais, com um preço médio de 2,5 milhões de euros, preço similar ao Loteamento Fonte Santa, em Quarteira, na região do Algarve, que ocupa o terceiro lugar.

No Porto, está a quarta morada com os preços mais exclusivos para comprar uma casa. Na Rua de Sobreiras, uma casa pode custar cerca de 2 milhões de euros.

Segue-se a Rua Fernão Mendes Pinto em Belém (Lisboa), com um valor de 1,9 milhões de euros, e a Rua a Gazeta d’Oeiras (Oeiras), onde o preço médio da habitação de luxo ronda os 1,8 milhões de euros.

No Estoril, encontra-se a sétima rua mais cara, a Rua Dom Afonso Henriques, que tem casas a um preço médio de 1,7 milhões de euros.

A lista das dez ruas mais caras fecha com a Rua António Saldanha, em Lisboa, a Avenida Marechal Gomes da Costa, no Porto, e a Urbanização Vale do Lobo, no Algarve, com preços entre os 1,7 e 1,5 milhões de euros.

Segundo o Idealista, para a elaboração deste estudo foi analisado o preço médio absoluto de apartamentos e moradias anunciados na mesma rua.

“Para evitar distorções nos dados, apenas se consideraram as ruas com contavam com um mínimo de 10 anúncios. No entanto, este estudo apenas mostra os preços médios das ruas, o que não significa que sejam as casas mais caras de cada mercado”, explica a empresa.

Veja também: