PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

A solidão é uma ameaça maior do que a obesidade

Um novo estudo da Brigham Young University sugere que a solidão e o isolamento social constituem um risco para a nossa saúde igual ou superior ao da obesidade.

A solidão é uma ameaça maior do que a obesidade
Novo estudo compara solidão aos riscos da obesidade

A solidão reflete-se numa profunda sensação de vazio e isolamento. Não é, necessariamente, a falta de outras pessoas, pois pode ser vivenciada mesmo em locais bastante ocupados e é muitas vezes descrita como como a falta de identificação, compreensão ou compaixão em relação às pessoas que estão à volta.

Muitas pessoas passam por momentos durante a sua vida em que se encontram sozinhas, quer por força das circunstâncias ou por escolha própria. Estar sozinho pode ser uma experiência positiva, prazerosa e trazer alívio emocional, desde que esteja sob controle do indivíduo.


Estudo alerta para os riscos da solidão

Após o estudo realizado na Brigham Young University, os autores chegaram à conclusão que a solidão e isolamento social são um risco que compromete a nossa longevidade podendo ser comparada ao da obesidade.

Este estudo surgiu após a análise de 70 estudos diferentes que inquiriram mais de três milhões de pessoas sobre as suas práticas de socialização relacionadas com a solidão, isolamento social e o facto de se viver sozinho.

Controlaram variáveis como a situação sócio-económica, idade, género e condições de saúde pré-existentes, Mesmo as pessoas que gostam de estar sozinhas podem sofrer deste efeito. A falta de relacionamentos constitui uma ameaça ainda maior para pessoas com menos de 65 anos de idade.


Faixa etária surpeendente

A relação entre solidão e risco de mortalidade entre as populações jovens é maior do que entre as populações mais envelhecidas. Apesar das pessoas mais velhas serem mais propensas a estarem mais sós, este estudo prevê que a solidão e o isolamento social causem um aumento enorme do número de mortes prematuras entre as populações com menos de 65 anos.

A autora Julianne Holt-Lunstad refere mesmo que “devemos começar a levar as relações sociais mais a sério.” Já numa investigação anterior, a autora compara o risco de morte causado pela solidão ao de fumar 15 cigarros por dia ou ser alcoólico. Neste estudo, sugere que a solidão e o isolamento social, não só igualam o risco de morte desses factores, mas também ultrapassam os riscos de saúde associados à obesidade.

Essencialmente, a pesquisa revela que quanto mais exercitamos e pusermos em prática a psicologia positiva, mais funcionais seremos, não apenas emocionalmente, mas fisicamente também. Tim Smith, um dos co-autores do estudo vai mais longe e refere que “com a solidão a aumentar, prevemos que haja uma epidemia de solidão no futuro.”


Formas de lidar com a solidão

  • Compreender o sentimento e a sua causa
  • Registar os pensamentos e sentimentos em forma de diário
  • Evitar atitudes e pensamentos negativos
  • A terapia de grupo é considerada uma boa forma de ultrapassar a solidão, já que terá oportunidade de conhecer e interagir com pessoas que se identificam com os mesmos sintomas e partilham os mesmos sentimentos

Veja também: