Simulador de Crédito - Milhares de Portugueses já experimentaram!

Em menos de 1 minuto, gratuito e sem compromisso.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

SIMULAR

O que muda no mercado de trabalho?

Depois de 17 horas de negociação, o Governo e os parceiros sociais, assinaram o acordo de Concertação Social que assinala um momento histórico no panorama do mercado de trabalho. Além de conter alterações, fruto do acordo com a troika, outras mudanças tiveram a sua origem no Governo que quis ir mais além.

O que muda no mercado de trabalho?

Além de serem cumpridas as exigências que constam no acordo com a troika, o Governo acredita que foi ainda mais ambicioso e inovador, não ficando apenas preso aos seus compromissos internacionais, sendo, portanto, mais audaz.

Conheça as principais alterações no mercado de trabalho, que o primeiro-ministro classificou como sendo um momento histórico para o nosso país.

  • Abandono da proposta da meia hora extraordinária de trabalho por dia, havendo em contrapartida mais dias de trabalho;
  • Eliminação de 3 a 4 feriados, civis e religiosos;
  • Quem faltar injustificadamente num dia de "ponte" pode perder não apenas dois, mas até quatro dias de salário;
  • Eliminação da majoração de férias para pessoas assíduas, passando assim de 25 dias para 22 dias;
  • O subsídio de desemprego vai sofrer fortes reduções quer em termos de valor, quer no que respeita ao tempo de atribuição;
  • Despedimentos e rescisões amigáveis mais fáceis;
  • Indemnizações por despedimento descem para todos os trabalhadores, quer para novos contratos, quer para antigos;
  • Trabalho ao sábado e feriados vai deixar de dar direito a folga suplementar, ficando apenas com um acréscimo salarial de 25%;
  • Redução dos salários por via das horas extraordinárias, o que significa que os montantes pagos a título de acréscimo pela retribuição de trabalho suplementar serão reduzidos para metade.