PLANO DE SAÚDE MEDICARE - 6 mensalidades sem compromisso

Bruxismo: o que é e como tratar

Fique a saber o que é, quais as causas e como tratar o bruxismo.

Bruxismo: o que é e como tratar
Mesmo sem saber pode sofrer deste problema

Já ouviu falar de bruxismo? Se está a pensar que possa ser algo relacionado com bruxas... bem, está errado. Trata-se, na verdade, de um distúrbio funcional que afeta muitas pessoas, de todas as idades.
 

Bruxismo: o que é?

O bruxismo é um distúrbio funcional que se caracteriza pelo apertar ou ranger dos dentes. O bruxismo dentário afeta cerca de 15% da população e não escolhe género ou idade. Pode tratar-se bruxismo cêntrico, quando se verifica apenas o apertar dos dentes, ou bruxismo excêntrico, quando há movimentos que fazer ranger os dentes.

Pode ainda distinguir-se o bruxismo noturno do diurno. O bruxismo noturno é aquele que ocorre durante o sono, sem que a pessoa se aperceba de que está a apertar ou ranger os dentes. Já o bruxismo diurno, também chamado de briquismo, é aquele que ocorre durante o dia e que se caracteriza por ser uma atividade voluntária ou semi-voluntária, estando o apertar ou ranger dos dentes muitas vezes associado a hábitos ou tiques.

 

Quais as causas?

Ainda que não sejam conhecidas as causas exatas do bruxismo, este problema está muitas vezes associado a fatores psicológicos, como stress, tensão, ansiedade, etc.

 

Quais os sintomas?

Mesmo que não saiba ou não se aperceba, pode sofrer de bruxismo. Quando falamos de bruxismo noturno, muitas vezes o problema é percetível e/ou identificado por alguém que esteja relativamente perto da pessoa que range os dentes. Mas há outra forma, basta estar atento aos sintomas. Os principais são:
  • Inchaço da face
  • Maxilares doridos
  • Insónias
  • Dor de cabeça (como cefaleias, enxaquecas, sensação de pressão na testa ou na nuca)
  • Dor, barulhos ou zumbidos nos ouvidos, podendo ainda provocar a sensação de ouvido tapado e até haver mesmo diminuição da audição
  • Dores no pescoço
  • Limitação na abertura ou fecho da boca (nos casos em que se verifica o desgaste do côndilo da mandibula)
  • Tonturas, vertigens, enjoos ou vômitos
  • Nevralgias (normalmente associadas ao nervo trigémeo)

 

Quais as consequências?

Entre as várias consequências possíveis do bruxismo podem destacar-se as seguintes:
  • Sensibilidade dentária
  • Dores de cabeça e de ouvido frequentes
  • Desgaste prematuro dos dentes e perda de esmalte dentário
  • Transtornos do sono
  • Possíveis fraturas dentárias
  • Hipertrofia ou inflamação dos músculos envolvidos na mastigação
  • Artrite temporomaxilar (ATM)
  • Má oclusão


Como tratar o bruxismo?

O tratamento apropriado pode variar de caso para casa, uma vez que depende do que está a causar o problema. Mas o tratamento mais habitual é o uso de uma goteira ou placa de bruxismo. Trata-se de uma placa de resina (uma espécie de boqueira), moldada para o paciente, que se encaixa nos dentes e impede o contacto entre eles, evitando a pressão ou o ranger dos dentes.

Além disso pode ainda ter alguns cuidados diários que podem ajudar a aliviar os sintomas como, por exemplo, evitar alimentos rijos. Pode também massajar os músculos do rosto e pescoço e aplicar gelo ou uma toalha quente e molhada no rosto para relaxar os músculos doridos.

Estas soluções, contudo, não corrigem o problema, apenas minimizam os danos. O ideal é que procure o seu médico, identifique a fonte do problema e faça o tratamento adequado. 

Veja também: