Carros que menos desvalorizam: marcas e modelos

Os carros que menos desvalorizam devem ser tidos em consideração no caso de estar a pensar comprar um carro novo nos próximos tempos. Dizemos-lhe porquê.

Carros que menos desvalorizam: marcas e modelos
Factores que influenciam a desvalorização automóvel

Os carros que menos desvalorizam devem ser tidos em consideração no caso de se estar a preparar para comprar um carro novo nos próximos tempos.

Comprar um carro novo é o sonho de qualquer pessoa: escolher o modelo, a cor, equipamento personalizado de acordo com as necessidades é, sem dúvida, a opção mais apelativa.

Apesar de, em determinados casos, comprar um veiculo em primeira mão não ser um bom investimento a longo prazo, mesmo dentro do universo dos automóveis novos, existem marcas e modelos que oferecem melhores garantias de retoma em caso de posterior revenda.

A taxa de desvalorização de um veículo pode ser um fator relevante para a seleção de uma marca ou modelo, especialmente se pretender vender o carro num curto espaço de tempo.

Carros que menos desvalorizam: taxas aplicadas

A desvalorização de um carro depende de várias variáveis, entre as quais a marca e modelo do veículo, e acima de tudo da procura e oferta no mercado.

Normalmente, os carros que menos desvalorizam são os mais populares, já que como são mais procurados, revendem-se facilmente. Mas nem sempre é assim. Um automóvel com características especiais, que não se encontre facilmente no mercado de usados pode sofrer uma desvalorização relativamente reduzida.

Calcular o preço correto de um automóvel usado, numa avaliação, constitui sempre uma tarefa delicada, pois dela depende a margem de lucro de quem vende.

Existem serviços como o Eurotax que, de acordo com o próprio site, “é o principal fornecedor de dados, soluções e consultadoria para o mercado automóvel europeu”, mas cujo cliente alvo se situa em áreas muito específicas do sector automóvel, nomeadamente fabricantes e importadores, gestores de frota, instituições financeiras, seguradoras, empresas de rent-a-car e oficinas.

Já para o cidadão comum, pode ser mais difícil chegar a um valor apurado ao nível da desvalorização do seu carro quando decide colocá-lo à venda.

As taxas de desvalorização são subjectivas, mas é vulgar apontar para uma desvalorização que pode chegar aos 30% à saída do stand, taxa que tende a subir nos anos seguintes. Nesse sentido, naturalmente, é frequente ouvir que comprar um carro é o pior dos investimentos.

Carros que menos desvalorizam: marcas e modelos

Os carros mais vendidos em Portugal em 2016, segundo a ACAP (Associação Automóvel de Portugal), foram o Renault Clio, o Peugeot 208, o Renault Mégane e o Volkswagen Golf (este último, o carro mais vendido na Europa).

carros-que-menos-desvalorizam

Se consultarmos as estatísticas de venda de ligeiros de passageiros, no mês de Janeiro de 2017, verifica-se que a Peugeot e a Renault continuam a liderar as vendas.

À falta de estudos de mercado rigorosos, poderia especular-se que o Renault Clio seria um carro que sofreria uma fraca desvalorização em 2017, visto que existindo procura, se poderia vender facilmente a bom preço. Mas não é assim tão linear. A popularidade e aumento de oferta pode vulgarizar a sua venda, e nesse sentido provocar a descida dos preços.

Modelos de marcas como a Mercedes ou a BMW , pela qualidade de construção e fiabilidade demonstradas ao longo de décadas, produzem normalmente no comprador uma imagem de confiança que induzem a uma menor desvalorização. Mas mesmo este efeito é subjectivo. Da mesma forma, possuir um carro altamente equipado, em ótimo estado de conservação, numa retoma pode ter valor reduzido.

Veja também: