Estudo: cerveja pode ajudar a prevenir ataques cardíacos

Esqueça a “barriguinha de cerveja”. Consumo moderado desta bebida traz diversos benefícios à saúde. Descubra quais.

Estudo: cerveja pode ajudar a prevenir ataques cardíacos
O aviso é o de sempre: resultados só através de consumo moderado

Os números não enganam: os portugueses estão a “cortar” no consumo de cerveja. De acordo com os dados mais recentes, em 2015, cada português bebeu 46 litros de cerveja, menos 15 litros do que há 10 anos atrás. Feitas as contas, entre 2010 e 2015, o consumo de cerveja caiu 22%.

Mas se a “barriguinha de cerveja” é uma das principais consequências do consumo desta bebida alcoólica, alguns estudos demonstram que o consumo moderado de cerveja traz benefícios para a saúde.

Benefícios da cerveja para a saúde

Vamos por partes: de acordo com os investigadores do National Public Health Institute de Helsínquia,  o consumo de uma garrafa de cerveja por dia reduz o risco da produção de pedras nos rins em 40%. Isto porque, segundo o mesmo estudo, o álcool potencia a eliminação de cálcio, um dos principais compostos das pedras nos rins.

Ataque cardíaco e AVC

Mas há mais: segundo um estudo da University of Scranton, na Pensilvânia (Estados Unidos da América), a cerveja pode ajudar a prevenir ataques cardíacos. Sim, leu bem: a pesquisa destes investigadores demonstrou que o consumo moderado de cerveja (uma ou duas garrafas) previne o desaparecimento do “colesterol bom”.

Já os investigadores da Harvard Medical School e da American Stroke Association dizem que o consumo moderado de cerveja reduz em 50% a possibilidade de sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Dizem estes cientistas que o consumo de cerveja ajuda a melhorar o fluxo sanguíneo nas artérias.

Insónias, cataratas e diabetes

Já os investigadores da University School of Medicina, em Indiana (Estados Unidos da América), provaram que o consumo de cerveja estimula a produção de dopamina, que ajuda a combater as insónias.

No Canadá, na University of Western Ontario, um grupo de investigadores comprovou que os antioxidantes da cerveja protegem contra a formação das cataratas.

Em 2011, em Harvard, uma equipa de especialistas comprovou que os homens de meia-idade que bebem cerca de dois copos de cerveja por dia reduzem as hipóteses de desenvolver o diabetes tipo 2 em 25%.

Mais otimistas são os investigadores da University of Idaho, nos Estados Unidos da América, que descobriram um componente nesta bebida que pode ajudar a curar o cancro. De acordo com os cientistas, os ácidos lupulones e humulones impedem o desenvolvimento das bactérias e podem ser a chave para o desenvolvimento de medicação capaz de tratar doentes oncológicos.

Ainda assim, são vários os especialistas que já vieram afirmar que este tipo de estudos ainda é inconclusivo e que, por isso, o consumo de cerveja (ou de qualquer outra bebida alcoólica) deve ser sempre moderada.

Cerveja: Património Imaterial da Humanidade

Para os fãs desta bebida alcoólica, mais boas notícias: a cerveja belga foi considerada como Património Imaterial da Humanidade. A decisão foi conhecida no final do mês de novembro de 2016, durante a reunião anual do Comité Intergovernamental para a Salvaguarda do Património, que aconteceu na capital da Etiópia, Adis Abeba.

Veja também: