AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

4 Competências tecnológicas obrigatórias

Cada vez mais as empresas procuram candidatos com bons conhecimentos informáticos. E há algumas competências tecnológicas que são quase obrigatórias. Saiba quais são.

4 Competências tecnológicas obrigatórias
Na era digital ter um bom domínio de ferramentas tecnológicas pode ser a chave para se destacar dos demais profissionais.

Na era digital faz sentido que se procurem (e valorizem) profissionais com “queda” para as tecnologias. E basta dar uma olhadela rápida aos anúncios de emprego para perceber que longe vai o tempo em que se solicitava apenas “bons conhecimentos do office na ótica do utilizador”. Atualmente, as empresas procuram muito mais. E são os profissionais que dominam certas ferramentas digitais que mais possibilidades têm de ser bem-sucedidos. Sabendo disso, compilamos uma lista com algumas das competências tecnológicas obrigatórias nos dias que correm.
 

4 Competências tecnológicas que vai querer dominar

Um bom profissional nos dias que correm não se pode limitar a saber apenas aquilo que faz parte da sua esfera de formação. Os conhecimentos técnicos específicos da sua área são importantes, mas não bastam.

No mercado de trabalho atual quase tudo requer conhecimentos informáticos e quanto mais abrangentes, melhor. Atualmente, as empresas procuram profissionais versáteis e capazes de darem respostas em várias vertentes de trabalho e dominar certas competências tecnológicas pode ser a chave para o seu sucesso, na medida em que vai ajudá-lo a diferenciar-se dos restantes.  

E como se isso não bastasse, acresce a tudo isto o facto dos métodos de trabalho estarem sempre a mudar e cada vez mais se exigir que os profissionais tenha bons conhecimentos de outras ferramentas. É o caso das que lhe apresentamos já de seguida e que entram para a lista de competências tecnológicas mais procuradas pelos recrutadores.

 

1. Conhecimentos de programação

Não, não lhe vamos pedir que domine linguagens de programação ou que saiba como escrever programas de raiz. Pelo menos não se não for essa a sua função. Para a maioria dos profissionais pode, no entanto, ser vantajoso conhecer minimamente uma linguagem de programação (como o HTML, por exemplo – usado para criar e modificar conteúdos em websites). Saber pelo menos alguma coisa nesta área pode ser útil para dar resposta a algumas necessidades da empresa, o que será certamente valorizado pelos empregadores.

 

2. Perceber os conceitos básicos de Marketing Digital

Se não está familiarizado com conceitos como SEO, Google Adwords, email marketing ou Facebook Ads, por exemplo, talvez queira apostar numa boa formação. Repare. A maioria das empresas está presente online (com um site, nas redes sociais, etc.) e é através dos meios digitais que chega a (pelo menos) parte dos seus clientes, que promove os seus produtos/serviços, atrai mais clientes, etc. Estar minimamente à vontade com estes conceitos pode ser uma boa forma de ajudar a empresa a alcançar os seus objetivos, certamente será valorizado enquanto profissional.

 

3. Compreender diferentes plataformas

Ou seja, saber trabalhar com diferentes tipos de serviços e plataformas ou sistemas operativos. Repare. A forma de trabalhar mudou. Graças às tecnologias (smartphones, tablets, Clouds, computadores portáteis) todos podem estar sempre ligados em qualquer lugar, fazendo com o que trabalho se realize, mesmo fora do escritório. Daí que seja importante que se sinta a vontade para trabalhar com diferentes plataformas e sistemas operativos, para ser capaz de acompanhar o ritmo.

 

4. Entender os procedimentos de segurança e privacidade

A tecnologia é ótima, mas acarreta alguns riscos. Falhas na segurança digital das empresas podem comprometer informações confidenciais. Daí que seja tao importante que os profissionais conheçam procedimentos de segurança e privacidade para evitar as ameaças digitais.

 

Atualize o seu leque de competências

Há mais ferramentas que deve trabalhar. Dominar ferramentas de edição de vídeo/imagem, determinados softwares específicos a cada área profissional ou saber fazer análise de dados, são apenas outros exemplos. O ideal é que esteja atento às tendências que vão surgindo e que entenda a importância que podem assumir no seu dia-a-dia de trabalho. Depois, resta-lhe apostar na formação e garantir que tem o que é preciso se destacar aos olhos dos empregadores e ter o sucesso ambicionado. 


Veja também: