Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
18 Mar, 2020 - 11:18

A importância das competências pessoais no mercado de trabalho

Catarina Milheiro

As competências pessoais são cada vez mais valorizadas pelas empresas em geral. Conheça-as e saiba que estratégias adotar para as desenvolver e melhorar.

colegas de trabalho a cumprimentarem-se pelos bons resultados

A verdade é que as competências pessoais assumem um papel de destaque no recrutamento e podem mesmo ser determinantes na escolha de um candidato.

Se pensa que um bom conjunto de competências técnicas já faz de si um bom profissional, está enganado. Existem outro tipo de competências que são tidas em conta quando o assunto é o recrutamento.

Estamos, portanto, a falar das competências pessoais, que na hora de procurar um emprego, podem ser fundamentais para ser o escolhido.

O QUE SÃO AS COMPETÊNCIAS PESSOAIS E QUAIS SÃO?

As competências pessoais são cada vez mais valorizadas pelas empresas e, por isso mesmo, deve estar a par do que são e quais são estas competências para que consiga ter sucesso na procura de emprego.

Provavelmente já ouviu falar em soft skills, sendo que nos últimos anos se tem vindo a dar mais enfâse à expressão. Considerando que as empresas estão mais atentas ao comportamento dos seus profissionais, as competências pessoais (as chamadas soft skills) são colocadas lado a lado com a cultura da empresa.

Ou seja, se o perfil da pessoa que desempenha de forma excelente a sua função, não for de encontro à cultura organizacional, existe uma grande probabilidade de algumas coisas não correrem bem, quer para a empresa, como para o profissional.

Tendo em consideração todos os desafios da era digital que vão surgindo, é possível verificar que os processos de recrutamento estão cada vez mais exigentes. E uma das exigências que se tem vindo a evidenciar, é o facto de as empresas procurarem pessoas mais completas (tanto a nível técnico como emocional).

Portanto, se até há uns anos bastava ter algumas competências técnicas aprimoradas, hoje o cenário do mercado de trabalho está um pouco diferente. É necessário que invista cada vez mais nas competências pessoais que vai adquirindo ao longo do tempo.

equipa a festejar sucesso

Quais são estas competências pessoais?

  1. Confiança (autoestima);
  2. Capacidade de adaptação;
  3. Iniciativa e/ou proatividade;
  4. Otimismo e atitude positiva;
  5. Empatia;
  6. Assertividade;
  7. Liderança;
  8. Espírito de equipa;
  9. Facilidade de relacionamento interpessoal;
  10. Pensamento crítico;
  11. Controlo emocional;
  12. Facilidade de integração;
  13. Autonomia;
  14. Determinação;
  15. Capacidade de resolução de problemas.

No fundo, as competências profissionais resultam da combinação de conhecimentos técnicos, aptidões e comportamentos, revelados em situações profissionais com o intuito de ir ao encontro dos objetivos da organização em que trabalha.

Por sua vez, esses comportamentos e reações perante um determinado cenário são fortemente influenciados pelos seus traços de personalidade e pelas suas competências pessoais.

Quais são as vantagens de desenvolver este tipo de competências?

Ao desenvolver as suas competências pessoais, estará não só a crescer como pessoa, mas também a nível profissional. Ora, se as empresas procuram pessoas com uma visão mais global e com algumas destas características listadas em cima, então será sempre uma boa opção investir nelas.

Por exemplo: se procura emprego há já algum tempo e ainda não foi escolhido para nenhuma função, provavelmente estará a fazer algo de errado. Já pensou que poderá estar a evidenciar somente as suas competências técnicas?

Nas entrevistas de emprego, os recrutadores valorizam muito mais as competências pessoais em detrimento das competências técnicas, o que não acontece por acaso. Através desta análise da sua inteligência emocional, do seu comportamento, da postura que adota, da linguagem, motivação e confiança que demonstra, as empresas conseguem captar o seu perfil e verificar se este se encaixa com a função pretendida.

Assim, se demonstrar que é uma pessoa altamente confiante, motivada, com uma atitude positiva, com um espírito crítico, autónoma, flexível, multidisciplinar, capaz de resolver problemas complexos e de fácil adaptação a novos ambientes, a probabilidade de ter sucesso numa entrevista de emprego é muito mais elevada.

Para além disso, no caso de existirem dois candidatos com as mesmas competências técnicas, irá destacar-se aquele que conseguir ter uma melhor desempenho ao nível das competências pessoais.

andré fontes
Veja também Entrevista. As soft skills devem começar a trabalhar-se no ensino básico

DE QUE FORMA AS PODE DESENVOLVER E MELHORAR?

Todos ambicionamos sucesso. E o primeiro passo para o fazer é perceber e definir o caminho para lá chegar. E logo aqui as suas competências pessoais entram em jogo, já que o primeiro passo é identificar as suas competências profissionais (ou técnicas), bem como as suas competências pessoais para determinar os seus pontos fortes e/ou mais fracos.

Esta avaliação é fundamental na medida em que permite determinar quais os aspetos da sua personalidade que podem influenciar o seu percurso, as suas aptidões e conhecimentos profissionais, ou ainda os seus interesses e motivações que serão determinantes para a sua atividade profissional.

Ao fazer esta avaliação será capaz de ter uma visão mais clara daquilo que pode querer transmitir aos empregadores e/ou realçar no seu CV.

Se sabe que tem uma grande dificuldade em comunicar e relacionar-se com os outros, por exemplo, deve optar por investir algum tempo e tornar esta sua limitação, num ponto forte. Opte por sair da sua zona de conforto e fazer perguntas simples aos seus colegas de trabalho, sem vergonhas.

No caso de não ter confiança em si próprio e no trabalho que desenvolve habitualmente, deve começar a trabalhar primeiramente a sua autoestima. Pensamentos positivos atraem sempre energias positivas, por isso lembre-se diariamente de algumas frase-chave que o podem ajudar ao longo deste processo. Confie em si e no seu trabalho!

Quando o assunto é o desenvolvimento das suas competências pessoais, deve sempre dar ênfase e começar a trabalhar naquelas que têm, normalmente, mais dificuldade (as que considera um ponto fraco).

No momento em que estiver devidamente preparado, inicie a sua procura de emprego. Contudo, não se esqueça de que nas entrevistas, os seus gestos, comportamento, linguagem e a forma como interage são momentos-chave para o recrutador.

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.