AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Desigualdade salarial: "O meu salário é maior que o teu"

As diferenças salariais fazem-se sentir na maioria dos sectores profissionais. Quase todos já vimos situações de desigualdade salarial. Saiba tudo sobre esta realidade!

Desigualdade salarial:
Desigualdade Salarial - o que é e como agir?

“Para trabalho igual, salário igual” - será que esta máxima prevalece no Mercado de Trabalho português? Verificamos que existem inúmeras situações de desigualdade salarial, sobretudo entre homens e mulheres que desempenham as mesmas funções.


Desigualdade Salarial - o que é e como agir?

Falamos de desigualdade salarial nas situações em que pessoas com a mesma qualificação e experiência a desempenhar as mesmas funções auferem vencimentos diferentes. Estas situações são consideradas descriminatórias e são ilegais, sobretudo se a desigualdade salarial tiver por base um ou mais dos seguintes motivos:
  • Género
  • Orientação sexual
  • Raça
  • Nacionalidade
  • Religião
  • Estado civil
  • Descendência
  • Idade


Entre homens e mulheres, a diferença de salários cresce

Na maioria dos países, inclusive em Portugal, registam-se diferenças salariais que ascendem aos 30% em benefício do sexo masculino.Tal significa que, com qualificações semelhantes, uma mulher que desempenhe a função A por 1000 euros por mês verá um homem desempenhar a mesma função por 1300 euros mensais.



O factor “I” - Idade!

A diferença salarial entre géneros agudiza-se com a idade, e tende a ser justificada pelas entidades empregadoras pelo facto de, tradicional e mais frequentemente, a mulher ser a principal cuidadora dos filhos, o que implica faltar ao trabalho com maior regularidade. Nas faixas etárias em que homens e mulheres constituem família, geralmente os homens optam por investir mais na carreira, trabalhando mais horas, e as mulheres por trabalhar menos horas para prestarem apoio à família.



Outros factores responsáveis pelas desigualdades salariais

Na sociedade ocidental, a extroversão, a capacidade de comunicação, a eloquência e a capacidade de negociação são muito valorizadas. Existe mesmo um viés social que favorece as pessoas extrovertidas relativamente às introvertidas.

Assim, os profissionais que possuem competências de comunicação mais desenvolvidas ascendem mais facilmente na carreira do que os indivíduos introvertidos, muito embora possam estar a desempenhar as mesmas funções e tenham as mesmas qualificações, experiência e resultados no trabalho.



Formas de ultrapassar as diferenças dentro das organizações

A grande maioria das empresas portuguesas são micro e pequenas empresas, pelo que não possuem, geralmente, um departamento de gestão de recursos humanos. As empresas de média e grande dimensão que possuem profissionais da área da Gestão de Pessoas deverão ser capazes de implementar um sistema de avaliação do desempenho dos seus colaboradores. Desta forma, a prestação e a produtividade das pessoas será avaliada imparcialmente e remunerada de forma justa!



Não só no salário se notam as diferenças

Naturalmente que em determinadas funções e em certos sectores e empresas se ganha mais do que noutros; porém, o que se verifica é que, na mesma organização, homens são mais frequentemente recompensados com um telemóvel ou um carro da empresa, ao passo que as mulheres quase nunca beneficiam dos mesmos privilégios.

Tal acontece, não raras vezes, porque também são os homens que são mais frquentemente promovidos a cargos de grande responsabilidade, que impliquem deslocações e/ou que estejam contactáveis a qualquer hora do dia.



Como contornar a situação?

  • Aposte na sua formação profissional. Garanta que as suas competências estão actualizadas e introduza inovações na sua rotina profissional. Traga novos conhecimentos para a empresa!
  • Termine a sua formação superior. Apesar de muitas pessoas com formação superior continuarem à procura de emprego ou a deparar-se com oportunidades de trabalho mal remuneradas, a verdade é que uma pessoa com o ensino superior pode desempenhar funções menos qualificadas, enquanto que o inverso nunca pode acontecer. Invista na sua qualificação e continue a procurar!
  • Seja indispensável. Descubra algo que mais ninguém na empresa sabe fazer. Torne-se a pessoa de referência num determinado tema, assunto, ou contacto com parceiros ou fornecedores.
  • Desenvolva as suas competências de comunicação e negociação; procure negociar as condições de trabalho a cada nova etapa profissional ou quando lhe forem atribuídas novas responsabilidades.
  • Aposte na sua imagem; tal como sucede com os introvertidos vs. extrovertidos, a sociedade tende a valorizar as pessoas bem apresentadas e a considerá-las mais competentes do que as outras. Não descure o papel da sua imagem na atribuição de oportunidades de carreira melhor remuneradas!
  • No caso de suspeitar da existência de desigualdades salariais na sua empresa, denuncie a situação à Autoridade para as Condições de Trabalho ou ao sindicato em que a sua profissão se inclui.
Veja também: