Despesas do crédito habitação e juros no IRS

Não sabe onde pode verificar as despesas do crédito habitação e juros no IRS? Saiba como neste artigo.

Despesas do crédito habitação e juros no IRS
Não estão no e-Fatura

Caso tenha consultado o e-Fatura e reparado que faltavam algumas despesas quando tratou de verificar se estava tudo bem, certamente deve ter visto artigos a informar que não havia motivos para alarme. Apesar disto, o facto de despesas do crédito habitação e juros no IRS, por exemplo, não aparecerem até ao mês de março criou várias dúvidas.

Estas despesas não se encontravam no e-Fatura porque, de acordo com Pedro Andersson, do Contas Poupança: “Senhorios com mais idade, bancos e seguradoras, embora privados, devem de acordo com a lei entregar durante o mês de janeiro na Autoridade Tributário (AT) todos os valores que receberam de cada NIF ao longo do ano anterior.”

Como consultar estas despesas

Agora já é possível consultar despesas do crédito habitação e juros no IRS, tal como é possível fazê-lo para despesas de saúde e de escolas, por exemplo. Para o fazer terá de aceder ao Portal das Finanças – e não ao e-Fatura.

Existe no Portal das finanças uma página de Deduções à Coleta. Para a aceder, terá de percorrer o seguinte caminho:

  • Cidadãos -> Consultar -> Consultar as despesas para deduções à coleta em IRS

Nessa página terá acesso a todas as despesas a que não teve acesso através do e-Fatura. Debaixo de cada categoria pode carregar no botão “ver detalhes”, e ter acesso às faturas, uma a uma, em cada subcategoria. No caso de querer consultar as despesas do crédito habitação e juros no IRS trata-se da categoria “encargos com imóveis”.

Declarar despesas da habitação

Este ano, pode vir a poupar centenas de euros com a declaração de despesas do crédito habitação e juros no IRS, mesmo tendo a categoria vindo a ser progressivamente reduzida. Desde que o crédito habitação tenha sido celebrado até dia 31 de dezembro de 2011, pode deduzir 15% dos juros pagos até um limite máximo de €296.

Por outro lado, quem vive numa casa arrendada pode também declarar 15% dos montantes suportados com rendas, sendo o limite neste caso de €502. Estes limites podem ainda ser aumentados em 50% ou 20% para famílias que tenham rendimentos coletáveis do 1º e 2º escalão.

Note que a dedução de encargos com imóveis pode ser verificada através do artigo 78-º do Código do IRS (CIRS). Caso lhe reste alguma dúvida, deverá entrar em contacto com o suporte da Autoridade Tributária e Aduaneira.

Veja também: