Marta Maia
Marta Maia
23 Set, 2019 - 11:50
Como transferir o crédito habitação e poupar com isso

Como transferir o crédito habitação e poupar com isso

Marta Maia

Mudar o empréstimo da casa para outro banco pode trazer benefícios. Saiba como transferir o crédito habitação e faça as contas ao que pode poupar.

O artigo continua após o anúncio

É rara, por esta altura, a família portuguesa que não tem um crédito habitação para pagar. Com o aumento do preço das rendas e a descida das taxas de juro, comprar casa tornou-se mais compensador do que arrendar, e muitos portugueses avançaram para a compra de um imóvel.

A evolução do mercado, contudo, fez com que os juros continuassem a descer e os bancos entrassem numa competição mais renhida pela preferência dos clientes. A consequência é que, por esta altura, pode valer muito a pena transferir o crédito habitação para outro banco. Descubra porquê.

Como saber se compensa transferir o crédito habitação

como saber se compensa transferir crédito habitação

As contas não são propriamente fáceis, mas se as fizer pode deparar-se com uma poupança muito simpática – em créditos contratados há mais de cinco anos, a poupança pode chegar às dezenas de milhares de euros. Transferir o crédito habitação para outro banco é passar a dívida de uma instituição para outra em troca de condições mais vantajosas. Para saber se, no seu caso, compensa mudar, esteja atento.

Atenção à sua taxa de juro

Taxas de juro contratadas há uns anos podem ser superiores às taxas de juro atuais, sobretudo porque a Euribor tem descido. Significa que, se contratou o seu crédito em 2012 e até escolheu uma taxa de juro fixa para se proteger dos valores elevados da altura, por exemplo, é quase certo que transferir o crédito habitação para outro banco agora lhe permite recalcular a Taxa Anual Nominal (TAN) para um valor muito mais atraente.

Atenção ao spread que está a pagar

Com a Euribor em terreno negativo há muitos meses seguidos, os bancos competem entre si descendo o spread (ou seja, o lucro do banco). Esta guerra de preços não acontecia em 2012, por exemplo, por isso é provável que os créditos antigos estejam a pagar spreads que hoje são impensáveis.

Atenção ao custo do reembolso antecipado

Transferir o crédito habitação para outro banco implica saldar a dívida com o banco atual. Ora, saldar a dívida toda de uma vez é proceder a um reembolso antecipado e isso tem custos. Nos créditos com taxa de juro variável, o reembolso antecipado tem um custo máximo de 0,5% do total reembolsado; nos créditos de taxa de juro fixa, o reembolso antecipado pode custar até 2% do total a reembolsar.

Contas feitas, pode não lhe compensar transferir o crédito habitação se vai pagar 200 euros para ganhar 100. É importante fazer as contas.

Atenção aos produtos associados

Pode acontecer que outro banco o atraia com um spread maravilhoso e se “esqueça” de lhe dizer que esse spread está dependente da contratação de produtos associados, como seguros ou contas-poupança. Ora, estes produtos associados também têm custos próprios… E esses custos podem ser superiores àquilo que poupa com a descida do spread.

O artigo continua após o anúncio

Compare a Taxa Anual Efetiva Global (TAEG) do crédito que tem agora com a que o outro banco lhe oferece para perceber se vale mesmo a pena transferir o crédito habitação.

Atenção à sua situação financeira

A vida dá muitas voltas e, provavelmente, não está hoje na mesma situação financeira em que estava quando pediu o primeiro crédito habitação. Se assim é, lembre-se que o banco novo pode não confiar na sua situação financeira atual e não aprovar o seu pedido de empréstimo, ou até penalizá-lo por ter menos capacidade de o pagar.

Isto quer dizer que transferir o crédito habitação quando a sua taxa de esforço aumentou nos últimos anos pode ser má ideia. Além disso, pode deixá-lo numa situação desconfortável com o seu banco atual, se anunciar que quer sair mas depois voltar atrás na decisão.

Os custos de transferir crédito habitação de que ninguém lhe fala

Resultado de imagem para site e-konomista.pt spread

Além de toda a análise que leu acima, há ainda custos associados a um processo de transferência de um crédito habitação de que ninguém lhe fala e que podem, no fim da história, ter um peso inesperado nas contas. São eles:

Os custos de estudo

O banco que quer o seu crédito pode parecer-lhe muito disponível, mas lembre-se que banco nenhum trabalha de borla. Estudar o seu processo e fazer as contas para uma proposta de contrato vai custar-lhe comissões e taxas que chegam facilmente aos três dígitos.

Os emolumentos notariais

Lembre-se que, tendo hipotecado a casa, registou o imóvel com um contrato de hipoteca em favor do seu banco atual. Ao transferir o crédito habitação, isso tem de ser mudado, porque a hipoteca passa a pertencer a outra instituição. Já está a ver onde queremos chegar: a alteração dos registos vai custar-lhe dinheiro.

As comissões de abertura do processo

Tal como, provavelmente, aconteceu quando pediu o primeiro empréstimo, o banco novo vai querer cobrar-lhe para abrir um novo crédito. Isso, claro, paga-se: é mais uma despesa para juntar ao bolo.

Como transferir o crédito habitação: 4 passos

Se já tomou uma decisão, é hora de avançar com o processo. Siga o passo a passo.

O artigo continua após o anúncio

1. Peça uma simulação ao banco novo

Saiba, exatamente, quanto vai pagar, como, quando e de que forma. Faça uma simulação e tenha a certeza absoluta de que o negócio que está prestes a fazer lhe compensa a longo prazo.

2. Inicie o processo de mudança no banco novo

Informe o banco novo de que vai querer transferir o crédito habitação para lá. Eles vão avançar com a burocracia necessária. Para ajudar, vai precisar de entregar:

3. Comunique ao banco atual que vai transferir o crédito habitação

São dez os dias de antecedência com que tem de avisar o seu banco de que vai proceder à transferência do crédito habitação. A partir do dia em que o comunicar formalmente, a instituição tem dez dias para fornecer ao banco novo todos os documentos e informações necessárias.

Lembre-se que transferir o crédito habitação é um direito seu, a menos que esteja contratualmente proibido de efetuar o reembolso antecipado (situação muito rara).

4. Acompanhe o processo junto do banco novo

Vai precisar de regularizar contas e assinar documentos. Em princípio, tudo estará concluído num mês.

Veja também