Distúrbios alimentares: revelamos os principais

Existem diferentes tipos de distúrbios alimentares, uns mais silenciosos do que outros. Apresentamos-lhe as suas especificidades.

Distúrbios alimentares: revelamos os principais
Esteja atento aos diferentes sinais de alerta!

Vivemos numa era e numa sociedade em que os standards de beleza são cada vez mais exigentes e irrealistas (com o recurso a photoshop e afins). Muito fruto desta realidade, assistimos a um aumento galopante dos chamados distúrbios alimentares, em grande parte provocados pela vontade de corresponder a estes standards.

Estes transtornos estão fortememente associados ao sexo feminino, e especialmente preocupantes nas idades mais permeáveis a influências (juventude e adolescência). No entanto, isto não quer dizer que não existem casos de distúrbios alimentares no sexo masculino e em idades adultas.


Distúrbios alimentares: o que são

Mas...e o que são exatamente os distúrbios alimentares? Essencialmente são um conjunto de doenças em que o paciente está totalmente obcecado com a sua alimentação, com tudo o que ingere e com o seu peso.

Esta obsessão torna-se de tal maneira forte que tolda toda a sua vida, prejudicando os restantes parâmetros (sociais, amorosos, pessoais). Em termos de consequências, os distúrbios podem resultar num estado de magreza extrema ou de obesidade, geralmente acompanhados de problemas físicos.

Quando não tratadas atempadamente, este tipo de doenças acabam por arrastar outro tipo de problemas psicológicos (depressões, ansiedade, tentativas de suicídio). É, por isso, muito importante, agir ao mínimo sinal de que algo de errado se passa. Em termos de tipos de distúrbios alimentares, os principais são a anorexia, a bulimia e o transtorno de comer compulsivamente.



Principais tipos de distúrbios alimentares


Anorexia

A anorexia é um dos distúrbios alimentares mais comuns e consiste na recusa alimentar do paciente, ao ponto de atingir um estado de magreza bastante inferior ao mínimo esperado para a sua idade.

Estas pessoas têm uma distorção da perceção do seu corpo (consideram-se sempre com peso a mais) e tendem a “esconder” o facto de não comerem. Contam as calorias de tudo e comem o mínimo indispensável para sobreviver.

As pessoas anoréticas, por todos os comportamentos acima mencionados, tendem a afastar-se da sua vida social, isolando-se num mundo á parte e rejeitando tratamentos. A sua auto-estima é geralmente muito baixa.


Bulimia

No caso da bulimia, os pacientes têm acessos compulsivos e ingerem comida em excesso, compensado de seguida com a provocação de vómitos, com a toma de laxantes e outras formas de expulsar o que acabaram de ingerir. Os alimentos devorados são normalmente de alto teor calórico.

A imagem percecionada do corpo é também distorcida e os comportamentos bulímicos são ocultados de todas as pessoas em seu redor. Ao contrário da anorexia, geralmente a perda de peso não é subtancial, pelo que se torna mais difícil de detetar este distúrbio.

 

Transtorno Comer Compulsivamente

Semelhante à bulimia, estas pessoas comem compulsivamente, mas não utilizam métodos para expulsar esses alimentos e não têm uma preocupação irracional com a sua imagem e peso.

Este distúrbio é frequente nas pessoas obesas e as mesmas só param de comer quando se torna fisicamente impossível de ingerir mais alimentos.

Após a ingestão dos alimentos, os doentes com este problema sentem-se extremamente culpados.

 

Tratamento de distúrbios alimentares

O tratamento destes distúrbios alimentares não é fácil nem rápido. É necessário estar atento aos sinais de possíveis transtornos.

Após esse passo, há que oferecer tratamento e acompanhamento psicológico à pessoa com o desiquilíbrio, em paralelo com um acompanhamento médico para as questões físicas.

Veja também: