Eutanásia: sim ou não?

A eutanásia consiste na morte assistida a doentes com algum tipo de problema terminal. O tema está na ordem no dia e na origem de um importante debate. Informe-se.

Eutanásia: sim ou não?
Petição pública reúne cada vez mais assinaturas

Cada vez mais se fala na possibilidade de despenalização da eutanásia, ou seja, da morte assistida para casos de doentes com doenças terminais e cujo sofrimento vai muito além do dito aceitável.

A Holanda foi o primeiro país a legalizar a eutanásia e a Bélgica o segundo. Em Portugal, apesar de haver inclusivamente uma petição que deu entrada na Assembleia da República, a eutanásia continua a não ser um direito dos pacientes e, por isso, não é legal.

Existem dois tipos de eutanásia:

  • Ativa – quando se utilizam ferramentas e recursos que levam ao fim da vida de uma pessoa, por exemplo, injeção letal, medicamentos que provocam a morte, etc.
  • Passiva – quando a eutanásia acontece pela falta de recursos necessários à manutenção da vida do paciente – falta de cuidados médicos, de medicação, alimentos ou água.

Procuramos reunir os argumentos contra e a favor da despenalização da eutanásia, para que forme a sua opinião de forma consciente.

Argumentos a favor da eutanásia

Quando se fala de argumentos a favor há quem defenda que o respeito pela eutanásia é o respeito também pela vida humana, pois o ser humano tem o direito à vida, mas deveria também ter o direito à morte, nas circunstâncias devidas, claro está.

É uma forma de dar alguma dignidade a um doente que já não se encontra com as condições mínimas para ter uma vida digna.

Existem muitos doentes que estão numa situação de sofrimento atroz e cujo diagnóstico aponta, infelizmente, para o mesmo fim: a morte. A eutanásia apenas seria o antecipar de um fim já esperado, reduzindo em muito os níveis de sofrimento.

Muitos dos pacientes que sofrem de alguma doença terminal acabam por se sentir um estorvo aos que a rodeiam e sentem-se também muito sozinhos. A eutanásia é novamente apontada como uma solução nestes casos.

Argumentos contra a eutanásia

Existe em Portugal um grande número de católicos e os mesmos acreditam que apenas Deus tem o poder de dar ou retirar a vida a alguém. A eutanásia está, por isso, fora de questão para estas pessoas.

Também dentro da classe médica nem sempre a eutanásia é bem vista, uma vez que no seu juramento os médicos prometem lutar pela vida dos pacientes até às últimas instâncias.

Existe também a possibilidade de, com a evolução da medicina, surgir alguma solução para o problema da pessoa que quer recorrer ao suicídio assistido. Daí que, eticamente, muitos médicos não concordem com a eutanásia.

Veja também: