Micose: tipos, sintomas e tratamentos

A micose é originada por diversos fungos que afetam, sobretudo, a pele e as unhas. Veja neste artigo tudo o que precisa saber sobre o problema.

Micose: tipos, sintomas e tratamentos
Tudo o que precisa de saber

A micose é uma infeção originada por fungos que atingem a pele, as unhas e – até – os cabelos. Estes inimigos invisíveis estão presentes em todos os locais que puder imaginar, podendo ser encontrados no solo e nos animais. Aliás, podemos mesmo dizer que na pele humana existem diversas espécies de fungos que, em condições normais, não causam doença.

No entanto, o problema aparece quando passa a existir uma variação das condições que tornam possível haver um equilíbrio entre o fungo e o ser humano. Nestas situações, há um aumento do número de fungos e o cenário muda: aparecem as temidas infeções na pele.

Sim, os fungos são uns verdadeiros oportunistas e aproveitam-se da fragilidade humana. Por isso mesmo, é preciso tomar medidas para que a sua presença não tome mais espaço do que aquilo que é realmente necessário e impossível de evitar.

Descubra neste artigo tudo o que precisa saber sobre a micose: as suas causas, tipos, sintomas e tratamentos.

Quais são os vários tipos de micose?

Existem inúmeros tipos de micoses superficiais, sendo as mais vulgares a pitiríase versicolor, as tinhas, a candidíase e as onicomicoses, que são micoses que afetam as unhas.

A Pitiríase Versicolor é uma doença crónica, que surge e desvanece ciclicamente, e atinge mais crianças e adolescentes. O fungo que a provoca pertence ao género Malassezia.

As tinhas fazem parte de outro conjunto de micoses superficiais e são, na verdade, provocadas por inúmeros tipos de fungos. Podem atingir os pés, o couro cabeludo e as unhas.

No caso da Candidíase, a infeção é provocada por fungos do género Candida. Este género de fungos pode provocar micoses superficiais e micoses profundas, de maior gravidade. É bastante comum que afete a zona genital das mulheres, provocando imenso desconforto e comichão.

O que causa o aparecimento da micose?

Uma micose nada mais é do que uma infeção oportunista. Basicamente, a sua causa pode ser qualquer alteração que possa reduzir as defesas do hospedeiro.

Podemos dizer que a micose pode ser provocada pela diabetes, pelo uso prolongado de antibióticos orais ou por qualquer outra doença ou tratamento que afete o normal funcionamento do sistema imunológico. Lembre-se: defesas em baixo deixam a porta aberta para uma micose.

Sintomas da micose

Os sintomas da micose são, normalmente, uns círculos ou anéis imperfeitos, avermelhados e escamosos que surgem na pele. Estas manchas podem causar muita comichão, tornando-se num verdadeiro incómodo.

A micose pode surgir em qualquer parte dos pés, mas é mais notada entre os dedos, porque é um local que tem muitas pregas – e são elas que criam o ambiente perfeito para a infeção: escuro, húmido e quente.

Como a micose causa comichão nas solas dos pés, peitos e entre os dedos, existe o risco desta infeção se propagar para outras partes do corpo, como mãos e rosto.

Tratamento das micoses

O tratamento da micose dependerá do tipo e gravidade do problema. Podem ser prescritos medicamentos tópicos ou orais, sendo os princípios ativos mais comuns dos cremes antifúngicos o miconazol, o clotrimazol, o econazol e o quetoconazol.

O creme antifúngico deve ser aplicado, habitualmente, durante 7 a 10 dias. Como se trata de uma infeção oportunista, é fundamental identificar os fatores de base, tentando corrigi-los, de modo a evitar novos episódios.

Mesmo desaparecendo os sintomas da micose, deve continuar a fazer aplicação do creme ou loção durante mais três dias, para ter a certeza de que eliminou o foco do fungo.

Veja também: