Mindfulness: a meditação que o ajuda a acalmar e a ser mais confiante

Se a sua mente não consegue abrandar e os seus pensamentos sucedem-se ininterruptamente de forma desorganizada, está na hora de conhecer o mindfulness.

Mindfulness: a meditação que o ajuda a acalmar e a ser mais confiante
Cabeça agitada, coração triste e alma cansada? Descubra o mindfulness

O mindfulness é uma prática inspirada na meditação oriental, tão antiga quanto a própria humanidade, talvez não esteja apenas na moda! Talvez tenha surgido no ocidente para ficar! Vamos perceber porquê!

Vivemos num estado de desorientação vital

A vida é difícil! O mundo está dorido com a crise! A evolução tecnológica impele-nos para este abalo mundial, pois empurra-nos para um ritmo de vida frenético, voraz, de informação excessiva, onde é fácil ficar sem respiração e abafado.

A força da internet nas nossas vidas tornou-nos, de facto, muito mais eficientes a processar informação, colocando-nos mais próximos do conhecimento. No entanto, afasta-nos das formas de pensamento mais profundos que requerem mais reflexão e concentração. Vivemos o automático, o breve e o rápido, descorando a concentração, a reflexão, e a contemplação.

Passamos a depender do computador, do tablet, do telemóvel e da tv como estratégia para navegar, explorar e sentir o mundo. Estamos fascinados e constantemente à espera de sermos interrompidos por chamadas, mensagens, notificações, muitas vezes triviais.

Expomo-nos ao bombardeio diário de informação que nos chega de várias vias tecnológicas. Somando as exigências de produção laboral que nos é imposta cada vez mais no local de trabalho, bem como a vida familiar abundante em tarefas… O resultado é uma mente agitada, onde os pensamentos surgem quase sem fio condutor, numa turbulência ilegível e com ausência de sentido.

A desorientação vital traz consequências nocivas como a ansiedade, o stress, a tristeza, a depressão, a insónia, etc. Na mente agitada, os pensamentos dão volta sobre si próprios, sem encontrar soluções para os problemas, pelo contrário, acentua-os. Isto traduz-se num corpo cansado, com respostas débeis.

desorientacao vital

Como aliviar ou evitar o sofrimento?

Acalmando a mente para vermos com clareza, pensarmos com clareza de forma a tomarmos decisões eficazes. Mindfulness é uma experiência onde se pratica a atenção plena no aqui e no agora!

Apenas dispomos do presente. Ninguém vive no passado, nem ninguém vive no futuro. Mas no presente dispomos das lembranças e memórias (boas e más) do passado, assim como dispomos das expectativas e ânsia do futuro. Até aqui permitimos que a nossa vida se revele no presente por ligação ao passado, como por exemplo os traumas ou a nostalgia, e por ligação ao futuro através da crença de que só no amanhã se cumprirá a felicidade e o prazer.

Mindfulness ajuda-nos a viver a nossa vida com as coisas do presente, aceitá-la e a desfrutá-la com felicidade e serenidade. É uma via ou um código de acesso que nos conduz ao centro de nós próprios, silenciando a mente, eliminando o ruído, encontrando a paz, o bem-estar, aqui e agora.

O sofrimento pode ser destruidor, se desenvolvermos comportamentos adaptativos patológicos, ou pode ser impulsionador de uma mudança da consciência conseguida através da prática meditativa. Permite-nos aprendermos a dirigir a nossa atenção e o nosso foco para o que é preciso, estabilizando-o e aumentando, se necessário, a sua intensidade para conseguirmos maior força da nossa atenção. É aí que conseguimos ver com clareza, compreender e discernir.

Esta transformação da consciência, permite a mudança do nosso estado e a mudança do estado permite a mudança do nosso traço enquanto pessoa.

Veja também:

Ana Luisa Santo Ana Luisa Santo

Enfermeira especializada em acupuntura e medicina tradicional chinesa. É uma apaixonada pela saúde natural e terapias alternativas, explorando ativamente formas seguras de cuidar a saúde e o bem-estar. Trabalhou no Serviço de Cuidados Intensivos do Hospital Geral Santo António, Porto. Atualmente trabalha na consulta de acupuntura do Hospital da Lapa. Docente no Instituto Jean Piaget. Enfermeira voluntária na AMI.