Como tratar a picada de carraça

Sabe como reagir perante uma picada de carraça? Veja aqui os 5 passos essenciais para tratar a picada deste parasita portador de microorganismos patogénicos.

Como tratar a picada de carraça
Saiba mais sobre a febre da carraça

As carraças são portadoras de microrganismos patogénicos e constituem um perigo não só para a saúde animal, mas também para a saúde pública. A picada de carraça pode, de facto, ser um problema.

Estes insetos alimentam-se do sangue dos animais que parasitam, nomeadamente de cães, gatos, aves, suínos, roedores e ruminantes. Têm características biológicas raras que contribuem para o sucesso da sua reprodução e ampliam o potencial da picada de carraça como meio de transmissão de doenças infeciosas. Algumas das suas características mais essenciais são a grande prolificidade e a sua extraordinária longevidade.

5 passos para tratar a picada de carraças

  1. Mantenha-se calmo e tentar retirar a carraça;
  2. Retire-a sempre com uma pinça bem junto à pele, com cuidado;
  3. Puxe devagar, até que o corpo da carraça saia todo;
  4. Deite a carraça fora e lave o sítio picado com água;
  5. Limpe o sítio da picada de carraça com um líquido anti-sético, por exemplo, betadine, ou com água e sabão. Vá desinfetando pelo menos 3 vezes por dia.

Note que, em casos muito raros, as picadas de carraça podem causar encefalite (inchaço do cérebro) entre outras doenças provocadas pelo vírus transmitidos pela carraça. Se depois da picada sentir febre ou rigidez no pescoço deve dirigir-se imediatamente ao hospital.

Febre da carraça – o que é?

As carraças são responsáveis pela célebre febre escaro-nodular – comumente conhecida por febre da carraça. Manifesta-se mais regularmente entre os meses de abril e setembro e é provocada pela bactéria “rickétsia”. Esta bactéria é transmitida ao Homem por via de cães ou roedores. Normalmente, as crianças são as mais afetadas.

Febre da carraça: principais sintomas

Os primeiros sintomas após a picada da carraça surgem ao fim de uma semana e são os seguintes:

  • Febre;
  • Dores musculares e de cabeça,
  • Enjoo;
  • Vómitos;
  • Perda de apetite;
  • Manchas e pápulas que se espalham pelo corpo todo, incluindo as palmas das mãos e plantas dos pés;
  • Gânglios linfáticos aumentados;
  • Náuseas;
  • Diarreia;
  • Perda de equilíbrio;
  • Estado mental alterado.

Se tem animais de estimação, convém verificar com regularidade se têm carraças, sobretudo depois dos passeios à rua. Se for esse o caso, utilize sempre uma pinça para as retirar.

Veja também: