Quer ser um novo Empreendedor?

Crie o seu próprio emprego. Saiba tudo subscrevendo a nossa Newsletter de Empreendedorismo.

Ao clicar concordo receber comunicações de marketing directo enviadas por e-konomista.pt e pelos nossos Parceiros

Enviar

Portugueses escrevem cada vez mais nos livros de reclamações

Os portugueses têm cada vez mais o hábito de reclamar, uma tendência que se tem verificado nos últimos seis meses. O sector mais afectado é o das comunicações.

Portugueses escrevem cada vez mais nos livros de reclamações
Reclamações têm vindo a aumentar substancialmente

Reclamar está na moda para os portugueses ou, pelo menos, estão mais habituados a apresentar reclamações quando algo não está bem. Segundo notícia avançada, há cerca de 120.623 portugueses que, só no primeiro semestre deste ano, escreveram no livro de reclamações. Este número são da Direção-geral do Consumidor e revelam um aumento de 4.073 reclamações face ao número que se registou no semestre anterior.

Mas afinal, porque é que os portugueses reclamam? Analisando os dados, percebe-se que “do total do número de reclamações efetuadas pelos portugueses entre Janeiro e Junho deste ano, 105.954 referem-se a cinco entidades, com o sector das comunicações a liderar”, sendo que quase metade das reclamações – cerca de 59.094, “foram encaminhadas para a ASAE – Autoridade de Segurança Alimentar e Económica, a maioria devido a atendimento deficiente ou cumprimento defeituoso ou não conforme do contrato”.

Perante estes dados, as telecomunicações ficam em maus lençóis no que refere à percepção do cliente em relação ao serviço prestado. Nas reclamações sobre este sector, os principais motivos foram problemas com o contrato (6.398 reclamações), com o equipamento (4.314), cancelamento de serviços (3.257), faturação (2.316), avaria (2.028) e atendimento ao cliente e assistência técnica (1.701)”.


Veja também: