Contas bancárias de crianças: quando o porquinho mealheiro tem custos

Poupar dinheiro para fazer um pé-de-meia para os filhos que lhes dê algum conforto quando atingirem a maioridade? Sim! Mas quais os custos associados?

Contas bancárias de crianças: quando o porquinho mealheiro tem custos
Antes de abrir uma conta bancária para menores, pense nos custos

As contas bancárias para crianças acabam por ser a solução escolhida pelos pais que desejam começar, desde cedo, a poupar para assegurar um futuro mais risonho aos seus filhos. No entanto, os depósitos relacionados com este tipo de contas, que se dirigem a um público mais jovem, não são assim tão vantajosos, o que torna a poupança ainda mais difícil.

De facto, a ambição de qualquer pai é multiplicar, de preferência a um ritmo satisfatório, o recheio da conta à medida que se aumentam os depósitos no “porquinho” da conta de poupança, que têm as suas vantagens e desvantagens. Segundo um estudo divulgado pela Deco Proteste, não é através de depósitos que se chega lá, pois não são uma boa solução de poupança a médio e longo prazo. Em termos de taxa líquida, um depósito infantil rende apenas 0,6%, nas melhores condições.

Antes de abrir uma conta para os seus filhos, quais são os custos associados a contas de crianças que deve conhecer?

Depósitos de moedas ao balcão


O depósito de moedas ao balcão tem uma comissão associada, nomeadamente quando são depositados mais do que 100. Em Portugal, a instituição bancária que ganha mais comissão é o Santander Totta (cinco euros, aos quais acresce o imposto do selo), seguido do BCP e BPI (3,50 euros) e, por fim, a Caixa Geral de Depósitos (3 euros), de acordo com a Deco Proteste.

Pode contornar esta questão trocando as moedas por notas no Banco de Portugal, sem custos associados.

Valor mínimo para abrir uma conta


Há um montante mínimo exigido pelos bancos quando se trata de abrir uma conta, sendo que este valor varia entre os 25 e os 250 euros. Se por um lado o Banco Bic, BPI, Banco CTT, Bankinter, Montepio e Santander Totta são os que pedem valores mínimos mais baixos, por outro, são os bancos como o Abanca, ActivoBank, Banco BiG, Best Ban, Caixa Geral de Depósitos e Deutsche Bank que são mais exigentes.

Em termos de custos de manutenção, o Millennium BCP é o que apresenta uma comissão maior, de 5,41 euros por mês, no caso de o saldo bancário ser menor ou igual a 25 euros.

Tipos de contas conforme a idade


Dependendo da idade do titular da conta, há vários tipos de contas bancárias, com diferente uso de cartões – pré-pagos ou de débito – que podem ser abertas.

Acesso a cartão pré-pagos

  • ActivoBank e Santander Totta: a partir dos 10 anos;
  • Banco Bic, CGD e Deutsche Bank: a partir dos 12 anos;
  • Restantes bancos: a partir dos 16 (limitado a movimentos diários até 50 euros, sendo que pode ser solicitado, em qualquer banco, um teto máximo).

Custos de cartões pré-pagos


Os valores oscilam entre os 5,20 e os 18,72 euros. A anuidade média é de 13,13 euros, mas, no caso do Bankinter, do Novo Banco e do ActivoBank, não é cobrada qualquer anuidade para cartões pré-pagos ou de débito das contas dos menores.

Representação do menor


Geralmente, os bancos obrigam a que haja uma representação do menor, permitindo apenas que a movimentação da conta seja realizada somente por um dos responsáveis pelo menor. Ou seja, mais uma questão que deve ponderar muito bem antes de abrir uma conta poupança para uma criança, além de todas as outras, como os respetivos custos associados às contas infantis que, efetivamente, podem ser mais um peso para o seu orçamento familiar.


Veja também: