AUMENTe AS sUAS PROBABILIDADES DE ARRANJAR EMPREGO!

Dicas menos convencionais para arranjar emprego

A criatividade pode ser a resposta para arranjar emprego. Veja aqui algumas dicas menos convencionais que o podem ajudar.

Dicas menos convencionais para arranjar emprego
Seja criativo na sua procura de emprego e destaque-se dos restantes candidatos.

Sem querer cair na repetição (mas fazendo-o), se quer arranjar emprego deve focar-se em tentar destacar-se dos restantes candidatos.
 
Atualmente a procura de trabalho é muito mais que uma simples pesquisa e respostas a ofertas de emprego. O mercado laboral exige mais dos candidatos, além de um bom Curriculum Vitae (CV). Para marcar a diferença por vezes é necessário deixar a abordagem tradicional de lado: há que apostar em algo mais. Ou seja, os candidatos devem pensar “fora da caixa” e saírem da sua zona de conforto para chamarem a atenção dos seus recrutadores.
 
Dito isto, se quer arranjar emprego basta pôr a sua criatividade em andamento. Perante a forte competitividade do mercado, os candidatos podem diferenciar-se de várias formas, a criatividade é uma delas.
 
Se quer arriscar, força! Mas tenha cuidado e lembre-se que a sua criatividade o deve diferenciar pela positiva.
 

Algumas dicas:

Para se destacar e arranjar emprego não necessita de criar um placard gigante na praça principal da cidade. Pode ser criativo em doses mais moderadas e mesmo assim deixar uma impressão positiva nos seus recrutadores. Veja alguns exemplos:
 

1. Crie cartões-de-visita originais

Desempregado ou não é importante que tenha sempre um cartões-de-visita consigo. Nunca se sabe quando vai necessitar deles. Existem até vários websites onde pode criar os seus. Quer escolha estes websites ou gráficas tente criar um cartão original, que chame a atenção dos seus recrutadores e fique na memória.
 

2.Tome iniciativa e apresente as suas ideias às empresas nas quais está interessado

Se acha que pode ser uma mais-valia para a empresa seja proactivo e mostre isso mesmo aos seus potenciais recrutadores. Ainda que não estejam a recrutar, tente agendar uma reunião com alguns dos responsáveis e apresente-lhes a suas ideias. Quem sabe se não ficam interessados.
 

3. Torne-se uma cara conhecida dos recrutadores

Tente marcar presença em tudo o que sejam eventos relacionados com a sua área profissional. Conferências, seminários, apresentações, workshops, o que seja… garanta que está presente. Aqui vai certamente encontrar muitos dos seus potenciais recrutadores, com quem terá até oportunidade de falar. Uma boa rede de contactos pode ser essencial para arranjar emprego. Comece já a sua!
 

4. Crie um CV original

CV’s em caixas de cereais, panfletos desdobráveis, em formato de passaporte ou jogos de tabuleiro, são apenas alguns exemplos do que já foi feito.
Mas antes de tentar algo deste género pense na funcionalidade e na ligação que o conceito que quer criar para o seu CV tem com a empresa a que se está a candidatar. Ou seja, deve adequar o seu modelo à área de atividade da empresa. Senão pense: que sentido faria ter um CV em forma de CD, se está a candidatar-se para uma empresa de transportes?
 

Criatividade ou excentricidade

Para arranjar emprego, ser bom profissional pode não bastar. Os recrutadores esperam muito de um candidato de emprego. Autonomia, pro-atividade, capacidade de adaptação, etc., são apenas alguns exemplos. Muitos dos recrutadores esperam perceber todas estas qualidades nos primeiros contactos – tanto na análise de CV, como na entrevista de emprego.
 
Claramente há candidatos que não têm qualquer medo de arriscar e alguns chegam mesmo a elevar a procura de emprego a um nível quase excêntrico. Outdoors publicitários onde os candidatos pedem para ser contratados, barras de chocolate com o CV no invólucro, ou vídeos criativos, são apenas alguns dos exemplos de candidatos que usaram a sua criatividade (e excentricidade também!) para se destacarem.
 
Os exemplos apontados correram bem. No fim, os candidatos conseguiram arranjar emprego. Mas há que ter cuidado. Os recrutadores não esperam encontrar excentricidade, mas sim candidatos com uma forte capacidade de adaptação. Nestes casos, os candidatos souberam equilibrar a criatividade com a excentricidade e conseguiram demonstrar a sua personalidade e mais-valias através das suas iniciativas.
 
Antes de começar a engendrar planos alucinantes, faça a sua pesquisa. Pense na empresa a que se está a candidatar e tente perceber o que pode ser aceitável ou não para os seus recrutadores. Ao contrário dos exemplos anteriores, outros houve que foram verdadeiros fiascos.
Desde um candidato que fez um flic-flac (movimento ginástico) para trás ao entrar na sala da entrevista, a outro que leu a sina ao entrevistador, ou outro ainda que enviou um sapato ao recrutador com uma mensagem que dizia que era para “ter um pé lá dentro”, são vários os exemplos onde a tentativa de ser original correu mal (mesmo muito mal). Nestes casos, o único resultado foi uma péssima impressão que os candidatos criaram.
 

Cuidados a ter!

Ser criativo ou arrojado é diferente de descuidado. Antes de se aventurar numa ideia megalómana, pare para pensar na natureza e no ambiente interno da empresa para perceber se deve ou não fugir ao convencional.
 
E mais, não encare nunca a procura de emprego como uma brincadeira. Se quer arranjar emprego deve levar a sua procura muito a sério. Mas claro nada o impede de ser inovador.
 
Veja também: