Métodos contracetivos: guia essencial para escolher o seu

Atualmente, existem muitos métodos contracetivos, mas será que utiliza o mais adequado? Veja quais as vantagens e desvantagens de cada um.

Métodos contracetivos: guia essencial para escolher o seu
O método contracetivo certo pode ser a solução para evitar uma gravidez

Usar métodos contracetivos é uma maneira responsável de evitar uma gravidez não desejada.Atualmente, não é necessário restringir-se às opções mais comuns, como a pílula e o preservativo. Existem outros métodos contracetivos, adaptados às necessidades de cada pessoa.

Os métodos contracetivos podem ser físicos ou de barreira, intrauterinos e naturais. Veja quais as vantagens e desvantagens de cada um e escolha o melhor para si.

Métodos contracetivos físicos ou de barreira

metodo barreira

Diafragma


É um dispositivo de borracha que se coloca no interior da vagina. Tem como objetivo impedir o contacto entre o colo do útero e os espermatozoides. Tem uma eficácia de 94%.

Vantagens

  • Não tem efeitos secundários relevantes;
  • Não incomoda no ato sexual;
  • Reduz o aparecimento da doença inflamatória pélvica.

Desvantagens

  • É difícil de usar;
  • Tem de ser colocado por um profissional.

 

Preservativo masculino


O preservativo é dos métodos contracetivos mais comuns. É feito de látex ou de poliuretano e também já vem pré-lubrificado. Vêm sempre enrolados dentro de uma embalagem lacrada. Quando colocado corretamente, tem uma eficácia de 97%.

Vantagens

  • Não precisa de receita ou indicação médica;
  • Previne as doenças sexualmente transmissíveis;
  • Pode reduzir situações de ejaculação precoce;
  • Não tem efeitos secundários.

Desvantagens

  • Pode provocar reações alérgicas ao látex (neste caso, preferir os preservativos feitos de poliuretano).

 

Preservativo feminino


É feito de nitrilo e tem a forma de um tubo. É posto dentro da vagina até 8 horas antes da relação sexual. Não deve ser utilizado em simultâneo com o preservativo masculino. Quando colocado corretamente, o preservativo feminino tem uma eficácia de 95%.

Vantagens

  • Não é necessário retirar logo após a ejaculação;
  • É mais resistente do que o preservativo masculino;
  • Protege contra doenças sexualmente transmissíveis.

Desvantagens

  • É difícil de colocar;
  • É mais caro do que o preservativo masculino;
  • Pode causar desconforto.

 

Espermicida


Pode encontrá-lo em creme, comprimidos de espuma ou gel. Com o aplicador, deve introduzi-lo no fundo da vagina, antes da relaxação sexual. A eficácia deste método é baixa. É, por isso, aconselhável combiná-lo com outros métodos contracetivos, como o diafragma ou o preservativo masculino.

Vantagens

  • É fácil de usar;
  • Não tem efeitos secundários;
  • Não necessita de prescrição médica.

Desvantagens

  • Obriga a um tempo de espera de 5 a 10 minutos para atuar;
  • Oferece uma proteção reduzida;
  • Protege entre 30 minutos a 2 horas;
  • Carece de um método contracetivo complementar.

 

Métodos contracetivos hormonais

metodos hormonais

Anel vaginal


É um anel transparente, suave e flexível que tem 5 cm de diâmetro. É um método combinado, que é administrado por via vaginal. Tem duas hormonas: estrogénio e progestagénio. O período de proteção com o anel vaginal varia entre 3 semanas e 6 meses.

Vantagens

  • É discreto e confortável;
  • É fácil de usar;
  • Tem uma probabilidade reduzida de esquecimento;
  • Dá um maior controlo do ciclo menstrual;
  • É eficaz, mesmo em caso de vómito ou diarreia;
  • A concentração hormonal é bem menor do que nos outros métodos.

Desvantagens

  • Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis;
  • Não é recomendável para mulheres com mais de 35 anos;
  • É desaconselhável em mulheres com problemas de obesidade ou de tabagismo;
  • Não deve ser usado sem recomendação médica.

 

Implante subcutâneo


Este método consiste em implantar um pequeno bastonete sob a pele do braço. É um procedimento feito por um médico, que demora pouco mais de 15 minutos. Tem a duração de 3 anos, após o que precisa de ser substituído. Tem uma eficácia de 99%.

Vantagens

  • É um método de longa duração;
  • Não é necessária uma toma diária;
  • Não perde a eficácia em caso de vómito ou diarreia;
  • Não impede a amamentação.

Desvantagens

  • É um método caro;
  • Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis.

 

Pílula anticoncecional


A pílula é o método mais usado pelas mulheres. Consiste em 21 ou 28 compridos de toma oral e diária. Pode ser combinada (estrogénios e progestagénios) ou em minipílula (gestagénios). Tem uma eficácia de 99%.

Vantagens

  • A proteção é assegurada durante a toma de cada comprimido;
  • Permite um melhor controlo do ciclo menstrual;
  • Pode reduzir as dores causadas pela menstruação;
  • É fácil de usar;
  • Pode ser comprada sem receita médica.

Desvantagens

  • Requer toma diária;
  • Tem a eficácia comprometida com vómitos e/ou diarreia;
  • Está sujeita a efeitos secundários vários;
  • Perde eficácia com a toma de outros medicamentos.

 

Métodos contracetivos intrauterinos

metodos intrauterinos

DIU


O DIU é dos métodos contracetivos com maior duração. A sua eficácia é de 99% e o dispositivo dura até 5 anos. São feitos de plástico e têm diferentes tamanhos e formas. Os mais comuns são os que têm a forma de um 7 ou de um T.

Vantagens

  • Tem uma duração de 5 anos;
  • É cómodo e discreto;
  • A eficácia não fica comprometida em caso de vómitos ou diarreia;
  •  É reversível.

Desvantagens

  • Apresenta maior risco de infeções;
  • Não evita menstruações mais longas e dolorosas;
  • Não protege das infeções sexualmente transmissíveis.

 

Métodos contracetivos naturais/ comportamentais

metodos naturais

Calendário – Ogino-Knaus


Para aplicar este método, terá de registar durante pelo menos 1 ano a duração dos seus ciclos menstruais. Após esse registo, terá de subtrair ao ciclo mais curto 18 dias e, ao ciclo mais longo, 11 dias. Este intervalo do menor para o maior indica o espaço de tempo em que a mulher é mais fértil e é mais provável que aconteça uma gravidez.

Vantagens

  • Não tem efeitos secundários relevantes;
  • É reversível;
  • Não necessita de acompanhamento médico.

Desvantagens

  • Está sujeita a efeitos secundários vários;
  • Tem um grau de eficácia muito baixo;
  • Requer um conhecimento aprofundado do ciclo de menstruação;
  • Obriga a longos períodos de abstinência;
  • Não protege contra as infeções e doenças sexualmente transmissíveis;
  • Não controla o facto de o período menstrual poder ocorrer, por razões várias, num momento diferente do habitual.

 

Muco cervical – Billings


É um método que observa as especificações do muco cervical, que se alteram devido ao grau de fertilidade. No primeiro dia, o muco torna-se filante e transparente e é aí que se inicia o período fértil. Isto prolonga-se até 3 dias.

Vantagens

  • Não tem efeitos secundários;
  • Pode ser usado em qualquer etapa da vida fértil da mulher.

Desvantagens

  • Tem um grau de eficácia muito baixo;
  • Nem sempre é fácil, por razões várias, observar o espessamento do muco vaginal;
  • Não protege contra as doenças sexualmente transmissíveis.

 

Sinto-térmico


Combina parte do método da temperatura basal e o método Bilings, ou seja, o muco e a temperatura são os indicadores para perceber qual a fase da fertilidade. Existem outros sintomas que também são tidos em conta, tais como as variações do colo do útero e a dor dos seios.

Por exigir um grande rigor de cálculos e depender da variabilidade dos ciclos, apresenta as mesmas vantagens e desvantagens do método do muco cervical.

 

Coito interrompido


É um método amplamente praticado. Consiste, durante a relação sexual, em retirar o pénis do interior da vagina, momentos antes da ejaculação.

Vantagens

  • Não tem efeitos secundários;
  • Faculta uma responsabilidade partilhada na contraceção;
  • Não necessita de acompanhamento médico.

Desvantagens

  • Pode gerar insatisfação sexual;
  • Tem um grau de eficácia muito baixo;
  • Não protege contra as infeções e doenças sexualmente transmissíveis.

 

Já agora: antes de escolher o método contracetivo, é aconselhável uma consulta de planeamento familiar, no seu médico de família ou no seu ginecologista. Pode, assim, com uma escolha mais adequada ao seu organismo, evitar algum desconforto e garantir maior eficácia.

Veja também:

Ana Carolina Veríssimo Ana Carolina Veríssimo

Ana Carolina Veríssimo é redatora de conteúdos desde 2013. Formou-se em Jornalismo pela Universidade Nova de Lisboa. É apaixonada pelo jornalismo online e pelo marketing digital. Escreve sobre diversos temas, sobretudo tecnologia, saúde, lifestyle e televisão.