Mudar de estilo de vida para poupar

Se fizer pequenas alterações para mudar de estilo de vida, as diferenças no seu orçamento mensal vai ser muito significativas. Saiba como no nosso artigo. 

Mudar de estilo de vida para poupar
Altere os hábitos e veja os euros a crescer.

É possível poupar sem mudar o estilo de vida, porém, os resultados na sua conta poupança não são tão significativos. Mas qual é a importância de poupar dinheiro? Bom, podíamos ficar o dia todo a enumerar as razões mas destacamos apenas algumas razões porque deve mudar a sua vida e começar já hoje a poupar.

Para começar a necessidade urgente e real de ter um plano para a reforma e de ter um pé de meia para imprevistos como seja o carro que avariou ou uma problema de saúde que o SNS não consegue resolver em tempo útil. Depois, é boa ideia amealhar para pagar os seguros da casa e do carro, para estar prevenido para o regresso às aulas, para evitar o recurso ao crédito e até para uns merecidos dias de descanso.

Nós temos as dicas certas para o conseguir, tome nota.
 

6 Dicas para um estilo de vida mais poupado

 

1. Planear as refeições 

Para mudar o estilo de vida e poupar, temos que voltar à nossa dica preferida mas, a verdade, é que não dá para fugir porque ao planear as suas refeições está a fazer três alterações no seu estilo de vida que vão representar uma grande poupança no final do mês na balança, na saúde e na carteira: 
 

Alimentação mais equilibrada
Ao planear as refeições, acabam-se as massas com atum e maionese, as pizzas congeladas e os ovos estrelados com batatas fritas de pacote. Vai fazer refeições mais saudáveis, variando os alimentos e fazendo escolhas mais equilibradas. 

Poupa muito dinheiro
Para começar, compra de acordo com as promoções semanais, conseguindo melhores negócios. Depois, acabam-se as visitas de urgência ao supermercado em que acaba por trazer meio quilo de camarão para fazer uma massa ou bife da pá a preço corrente porque “afinal, é só uma vez”. Só que, não vale a pena negar, nós sabemos que não é.

Reduz as refeições fora
Já fez bem as contas ao dinheiro que gasta em refeições fora? E comparou com o que gastaria se fizesse mais refeições em casa? Entre take-away, restaurantes e paragens rápidas em drive-ins, lá se vai uma grande parcela do seu orçamento e da sua saúde.

 

2. Corte nos pequenos luxos

Há pequenos luxos onde está a queimar o seu dinheiro, nomeadamente: uma assinatura de televisão com 200 canais quando só vê 3, um extra na mensalidade para ter pacote de dados de 2 Gb quando, não, não precisa de estar sempre ligado, desperdiçar comida quando pode aproveitar as sobras, ter luzes acesas em divisões vazias ou tomar duches de 10 minutos sem nunca fechar a água. 

Os ditados populares não passam de geração em geração à toa, quando ouve a sua avó dizer que “no poupar é que está o ganho”, que “o dinheiro não é de quem o tem, é de quem o poupa” ou, especialmente, que “grão a grão, enche a galinha o papo”, oiça-a e obedeça porque são palavras sábias. Faça um exame de consciência, muda o seu estilo de vida e corte no supérfluo.

 

3. Diga adeus ao ginásio

Mas não ao exercício físico! Se tem força de vontade para sair de casa para ir ao ginásio, também tem para sair para uma caminha, uma corrida ou um passeio de bicicleta. Pode combinar estes desportos com outros que pode fazer na tranquilidade de sua casa ou na parque da sua cidade, com o recurso à internet, como Yoga, Pilates, aulas de Zumba ou várias séries de exercícios localizados.

 

4. Viva com menos

Neste caso não falamos de dinheiro mas de coisas, ainda que uma leve à outra. Ao adotar um estilo de vida minimalista, com menos tralha na sua vida, automaticamente, isso vai acabar por se refletir na sua carteira e em todas escolhas que faz no futuro. Vai dar por si a, cada vez mais, ponderar as suas compras, avaliando se de facto precisa do que vai comprar, e a viver feliz com isso.

 

5. Deixe o carro em casa

Repense o uso que dá ao seu carro porque esta é mais uma das medidas em que só vai ganhar porque o impacto vai notar-se na sua carteira, na balança, na saúde e, inclusive, no ambiente. Tem autocarro perto de casa e leva o carro para o trabalho? O supermercado fica a 600 m de casa e vai de carro? Vai a um jantar de amigos e cada um leva o seu carro? Vá a pé, de autocarro, de bicicleta ou partilhe o veículo.

 

6. Não acompanhe a inflação 

Neste caso, do seu ordenado. Se é um dos poucos portugueses que recebeu um aumento de ordenado, poupe-o. Não mude o estilo de vida, começando a gastar mais. Se conseguia viver até aqui sem esse dinheiro extra, também o vai conseguir fazer no resto dos dias. Seja, 5€, 30€ ou 100€ de aumento, faça de conta que ficou tudo na mesma e, tostão a tostão, engorde o seu PPR, por exemplo.


Veja também: