Publicidade:

Nintendo Switch: tudo sobre a primeira consola híbrida

A Nintendo Switch é feita com um sistema modular que permite jogar em casa, com a consola ligada à TV, ou em modo portátil. É um must para os fãs da Nintendo.

Nintendo Switch: tudo sobre a primeira consola híbrida
A Nintendo Switch pode ser usada em casa ou em qualquer lugar

A Nintendo Switch é uma consola híbrida, que permite ao utilizador alternar entre uma consola para ligar a uma televisão e uma consola para levar consigo e jogar em qualquer lugar.

É esta característica que transforma este dispositivo em algo único: a Nintendo Switch, lançada em março de 2017, é um pequeno tablet com ecrã LCD multi-touch e com um design modular que a torna adaptável.

Assim, este design modular do sistema permite que o gadget seja, em simultâneo, uma consola de casa e um dispositivo de jogos portátil, com touchscreen e comandos wireless.

Nintendo Switch vem afastar os fantasmas da Wii U

nintendo switch

A Nintendo quer reconquistar os gamers e o seu lugar no mercado. Após o sucesso da Nintendo Wii, que na altura foi um sistema inovador no que toca a gaming, veio um flop: a Nintendo Wii U.

Na verdade, após o lançamento da Wii, a Nintendo ficou muito atrás no que toca à concorrência (Microsoft e Sony). A empresa teve de repensar o hardware, sobretudo após o falhanço de mercado que foi a Wii U. A Switch parece estar a ser uma resposta correta.

Esta nova consola híbrida é construída com base em comandos modulares inovadores (chamados Joy-Con) que permite ao utilizador adaptar-se: jogar em casa ou em qualquer sítio.

Consola híbrida, mas ideal para casa

Apesar de ser uma consola híbrida e adaptável, as características da Nintendo Switch fazem dela uma opção mais válida para jogar em casa. O ecrã acaba por parecer pequeno quando se joga em modo portátil e os Joy-Con podem atrapalhar e ser dispositivos menos fáceis de usar quando está fora de casa.

Para além disto, a bateria dura entre duas horas e meia e seis horas, no modo portátil, dependendo do jogo.

Design que conquista

O hardware tem uma sensação boa ao toque e é refinado, sendo que este é um aspeto que salta logo à vista: a qualidade dos acabamentos. Seja na cor azul, cinzenta ou vermelha, a consola é muito elegante e tem um acabamento em mate que pede para ser tocado. O gadget tem uma construção elegante que lhe dá robustez e consistência, sendo este um dispositivo muito confortável para jogar.

O que vem na caixa

  • Consola Nintendo Switch;
  • Cabo HDMI;
  • Adaptador de corrente AC;
  • Dois comandos Joy-Con (com fitas);
  • Switch Dock.

Especificações técnicas

Tal como a Nintendo Wii U, a Switch tem ecrã touchscreen de 6.2 polegadas e com resolução 720p. Mas mesmo com os comandos Joy-Con montados, esta consola é mais pequena do que a Wii U GamePad. Quando ligado a uma televisão, o ecrã pode ficar com uma resolução até 1080p.

Este dispositivo está equipado com um ecrã capacitivo, o que significa que tem um maior rácio de contraste e gestos de toque melhorados. A consola pode enviar um sinal stereo surround-sound 5.1, através da dock e via phones ou colunas, em modo portátil.

O gadget está equipado com um processador móvel Nvidia Tegra, tendo três portas USB, uma USB-C e uma entrada HDMI. O armazenamento interno é de 32 GB, mas expansível até 2 TB através de um cartão microSD.

Preço: a partir de 325,91€.

Nintendo Switch: veredicto final

A Nintendo Switch é uma combinação bem feita de hardware, design e performance, juntando o melhor da Nintendo e Nvidia. Existem consolas mais poderosas do que a Switch, como a PS4 Pro e a Xbox One X, que até podem ser compradas a um preço mais acessível (sem o fator híbrido que permite que tenha uma consola portátil, claro).

Este dispositivo Nintendo é feito, sobretudo, para correr os jogos desta empresa, o que pode não ser atrativo para toda a gente. A Switch oferece um hardware adaptável e interessante, com um design apelativo e boa qualidade de jogo. Contudo, sendo uma consola feita para jogos Nintendo, acaba por ser mais limitada.

Em suma, é uma excelente opção para os aficionados da marca. Mas se for a sua primeira consola moderna, não é a escolha mais indicada.

Veja também:

Ana Duarte Ana Duarte

Jornalista e gestora de comunicação no projeto Patient Innovation, Ana Duarte é mestre em Ciências da Comunicação, pela Universidade do Porto. A sua paixão pela escrita começou cedo, quando aprendeu a escrever e começou a criar os seus próprios jornais. Interessa-se por tecnologia, desporto, cinema e literatura.