Saiba porque não deve andar no escorrega com crianças

Conheça as razões pelas quais não deve utilizar os equipamentos de parques infantis juntamente com crianças, em especial o escorrega.

Saiba porque não deve andar no escorrega com crianças
Por uma questão de segurança

Quem não gosta de partilhar brincadeiras com as suas crianças, em casa e nos parques infantis? E quem nega aquela vontade de sair a correr para o baloiço ou escorrega da nossa infância?

Pois é, mas se o faz com os seus filhos, não devia. Tudo por razões de segurança. Saiba de seguida porque não deve andar no escorrega com crianças.

Razões para não andar no escorrega com crianças

Saia de casa para se divertir com os seus filhos, sobrinhos, afilhados ou netos, pois eles vão adorar, principalmente os mais pequenos. No entanto, se tem por hábito utilizar, juntamente com eles, os equipamentos de parques infantis, este artigo é para si.

Muitos pais juntam-se à brincadeira e escorregam atrás ou com os filhos ao colo, algo que soa realmente agradável, mas que pode correr muito mal.

De acordo com um artigo do jornal Independent, os riscos de acidentes são bem reais. Esta conclusão tem por base um estudo que mostrou que os escorregas não são construídos com o intuito de suportarem o peso de pais e filhos em simultâneo.

Além disso, o aumento do peso conduz ao aumento da velocidade. Segundo este jornal, entre 2002 e 2015, 352 698 crianças com menos de seis anos ficaram feridas em escorregas e a maioria dessas lesões foram fraturas nas pernas (36% das lesões).

As pernas das crianças correm um risco extremo de serem esmagadas pelo peso adicionado do adulto em curvas ou na parte inferior do escorrega, dobrando desadequadamente enquanto estão sentadas no colo dos pais.

Esta é uma prática comum e que parece bem divertida, mas que deve ser evitada. O estudo destaca ainda que o grupo que apresenta maior risco é o das crianças entre os 12 e os 23 meses.

Todos sabemos que a interação entre pais e filhos e as brincadeiras ao ar livre são cruciais para o desenvolvimento das crianças. Porém, importa informar os pais sobre estas questões para que uma atividade divertida e aparentemente inofensiva não represente um risco para os filhos.

Veja também: