Porque não recebo resposta à candidatura de emprego?

Se é o seu caso fique a conhecer algumas razões para a falta de respostas à candidatura de emprego. 

Porque não recebo resposta à candidatura de emprego?
Esta é a dúvida que atormenta muitos dos candidatos a emprego.

“Porque não recebo resposta à candidatura de emprego?”
 
São aos milhares os candidatos que – todos os dias – fazem esta pergunta a si mesmos. E afinal, de quem é o problema? Será o seu Curriculum Vitae (CV)? Ou será a empresa? “Culpados” à parte, o melhor é preparar-se para a dura realidade: na grande maioria das vezes a resposta vai ser inexistente.
 

Porquê?

Razões há muitas. E nós apresentamos-lhe algumas. Ora veja.
 

1. Perfil desadequado

Ter um perfil desadequado não só é um dos principais motivos para não conseguir emprego, mas também uma das razões para não obter uma resposta à candidatura. É sabido que muitos candidatos cometem o erro de enviar candidaturas quase indiscriminadamente na esperança de ser selecionado para uma delas. E não podiam estar mais errados. Senão pense. Os recrutadores são pessoas demasiado ocupadas para perder tempo a analisar candidaturas que não encaixam no perfil pretendido. E não só. Muitas das empresas usam softwares de gestão de candidaturas que permitem triar e eliminar as candidaturas de forma eficaz, fazendo com que apenas as mais adequadas cheguem aos responsáveis pelo recrutamento. Ainda assim, se caiu na asneira de se candidatar a uma vaga para a qual não tem as competências exigidas, o melhor é estar preparado, já que o mais certo é não ser contactado pela empresa. E se, por outro lado, quer começar a obter resultados, comece por analisar e selecionar as ofertas de emprego que se adequem ao seu perfil, competências e experiência profissional.
 

2. O recrutador recebeu demasiadas candidaturas

Se pensar bem faz todo o sentido. Tendo em conta os elevados números do desemprego no nosso país, não será de estranhar que para cada oferta de emprego, uma empresa receba dezenas (ou mesmo centenas) de candidaturas. O que vai acontecer é que os CV’s analisados vão ser os primeiros a cair na caixa de email do recrutador. Parece injusto, mas não será tanto assim. A verdade é que os empregadores têm uma janela de tempo limitada para analisar CV’s e selecionar os candidatos. O mais certo é pararem quando acharem que têm um número razoável de candidatos aptos para ocupar o lugar e a partir daí conduzirem o processo de recrutamento. O segredo aqui passa por tentar analisar as ofertas com frequência para tentar enviar a sua candidatura o mais depressa possível e “rezar” para que seja uma das primeiras e uma das sorteadas. 
 
FIQUE ATENTO:
Se quer receber mais notícias gratuitas como esta, basta registar-se no E-Konomista. Toda a informação sobre emprego actualizada ao minuto.

3. O seu CV carece de palavras-chave

Se quer chamar a atenção dos recrutadores num processo de recrutamento – e garantir que obtém uma resposta à candidatura de emprego – o melhor é começar já a rever o seu CV para garantir que tem tudo o que procuram num candidato. Um CV otimizado inclui uma série de palavras-chave que identificam as suas competências ou conhecimentos. Essas mesmas palavras constam do anúncio de emprego e serão as primeiras coisas que um recrutador vai procurar no seu CV.
 

4. Tem uma fraca presença online 

Se não sabe (embora devesse), fica a saber: qualquer recrutador vai procurar os seus perfis online e, por essa razão, convém que não os descure. Aliás deve usá-los para fortalecer a sua candidatura. Lembre-se que as redes sociais podem ser boas ferramentas de recrutamento e que permitem aos seus recrutadores ver mais do que mostra o seu CV ou a sua carta de apresentação. Portanto, comece já a rever a sua presença online e a “limar as arestas” necessárias.
 

E a resposta?

Bem, se é verdade que a falta de resposta à candidatura de emprego é provavelmente uma das maiores frustrações que os candidatos têm que enfrentar, também é verdade que ninguém lhe pode garantir que – tendo atenção a todos os detalhes – vai finalmente começar a receber as tão ansiadas respostas. O que lhe podemos dizer é que não está sozinha nesta “luta”. Resta-lhe agora continuar a candidatar-se e não se deixar abater pela falta de respostas. Mais dia, menos dia a sorte vai “bater-lhe à porta” e mais do que receber uma mensagem automática, vai receber um “sim, foi selecionado”!
 
Veja também: