Publicidade:

Insatisfação com a imagem corporal: aprenda a aceitar o seu corpo

Ter uma imagem corporal negativa pode ter consequências e dar origem a comportamentos de risco. Descubra algumas dicas para melhorar a sua imagem corporal.

Insatisfação com a imagem corporal: aprenda a aceitar o seu corpo
Aceita o seu corpo tal como ele é?

A sociedade valoriza a beleza e a forma física impondo, muitas vezes, padrões estéticos rígidos e difíceis de alcançar. Frequentemente, a percepção que temos do nosso corpo – ou seja, a nossa imagem corporal – não corresponde aos padrões impostos pela sociedade. Entenda mais sobre a questão.

Como está a sua imagem corporal?


A imagem corporal pode ser definida como a percepção e a atitude que temos face ao nosso corpo. Podemos ter uma imagem corporal positiva ou negativa, influenciada pelas nossas experiências (família, amigos, meios de comunicação).

O problema aparece quando a imagem que temos do nosso corpo (aquela que vemos no espelho) não é uma representação correta. Algumas pessoas consideram-se acima do peso quando estão abaixo do peso, ou consideram partes específicas do corpo como defeituosas, embora esses defeitos não sejam visíveis para os outros.

Para refletir acerca da sua imagem corporal e da atitude que tem perante o seu corpo, tente responder às seguintes questões:

  • O que é que digo a mim mesmo sobre o meu corpo?
  • O que é que vejo quando me olho ao espelho?
  • Como é que trato o meu corpo?
  • Os outros concordam com a minha atitude face ao meu corpo?
  • Como é que eu me sinto quando as outras pessoas falam do meu corpo?

Consequências da insatisfação com a imagem corporal


Infelizmente, é comum as pessoas sentirem e expressarem insatisfação com o seu corpo. Em algumas pessoas, a insatisfação corporal pode originar consequências debilitantes como, por exemplo, perturbações do comportamento alimentar.

Algumas das potenciais consequências são as que listamos abaixo.

Emocionais: ansiedade, depressão, raiva, frustração, baixa autoestima, desvalorização pessoal;

Comportamentais: restrição alimentar severa e/ou exercício físico exagerado;

Necessidade constante de monitorização do corpo: pesagens frequentes; verificar o corpo ao espelho; comparar o corpo com o de outros;

Esconder o corpo em situações de maior exposição: usar roupas largas; evitar situações em que o corpo é exposto (por exemplo, ir à natação);

Insatisfação cognitiva: fortes pensamentos negativos; preocupação excessiva com o peso, forma corporal ou com partes do corpo em particular;

Dar importância indevida à aparência: pode tornar-se o aspeto mais importante da vida.

Aprenda a aceitar o seu corpo


imagem corporal

É irrealista pretender estar completamente satisfeito com o seu corpo, mas pode aprender a aceitar-se tal como é. A aceitação leva tempo mas há algumas dicas que deve pôr em prática desde já.

a) Aceite a sua base genética: todos os corpos estão geneticamente pré-determinados a ter um tamanho e uma forma específicos.

b) Reflita sobre os fatores que influenciam a perceção que tem do seu corpo: como é que a atitude que tem em relação ao seu corpo começou? Essa atitude mudou com o tempo? O que é que o poderia ajudar a começar a criar uma imagem corporal mais positiva? Quais as emoções que estão por trás da insatisfação corporal?

c) Reflita sobre o que é que acha atraente nas outras pessoas: será apenas a aparência ou também a personalidade e atitude?

d) Pense naquilo de que gosta no seu corpo: analise o seu corpo e encontre os aspetos de que mais gosta, mas faça disto uma prática corrente e não se centre no que encara como menos positivo.

e) Pense que todas as partes do seu corpo têm uma função: fique grato pelo corpo – por exemplo, uma cicatriz pode contar uma história sobre a sua vida e as suas pernas permitem dançar e correr.

f) Identifique atividades que o ajudem a sentir-se bem com o seu corpo: para algumas pessoas, a prática de relaxamento ou determinadas modalidades de exercício físico são úteis.

g) Reduza os comportamentos de verificação e evitamento do corpo: estas atitudes reforçam a imagem corporal negativa.

h) Expanda as suas áreas de interesse: quando uma importância indevida é colocada apenas num aspeto da vida (aparência física), outros interesses tendem a ser negligenciados; programe uma nova atividade ou volte a desfrutar de um interesse antigo. Que tal fazer um plano semanal onde inclui estas atividades? Isso pode ajudar.

i) Avalie de forma crítica as suas atitudes em relação à imagem corporal: tem evidências para apoiar os seus pensamentos negativos? As outras pessoas concordam com a sua atitude? Como está o seu índice de massa corporal?

j) Treine estas dicas várias vezes: lembre-se de que melhorar a imagem corporal leva tempo e exige prática.

Veja também:

Ana Graça Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Além da Psicologia. é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que traga mais felicidade!