Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
14 Dez, 2018 - 14:06
Índice de massa corporal: qual é o seu peso ideal?

Índice de massa corporal: qual é o seu peso ideal?

Catarina Milheiro

O índice de massa corporal relaciona o seu peso com a altura e determina o escalão em que se insere com base na tabela da Organização Mundial de Saúde.

O artigo continua após o anúncio

Quando se fala em peso e nutrição, uma das siglas mais comuns é o índice de massa corporal (IMC). Esta sigla é utlizada em todo o mundo como um indicador rápido e prático para relacionar o peso e a altura e, posteriormente, detetar casos de magreza excessiva ou até mesmo obesidade.

Índice de Massa Corporal: o que é

Receitas para combater a obesidade: 4 sugestões deliciosas

Trata-se de uma medida bastante simples que resulta de uma fórmula matemática.

índice de massa corporal foi desenvolvido no final do século XIX por Lambert Adolphe Quételet, um astrónomo, matemático belga e sociólogo que decidiu em 1835, lançar uma obra na qual propôs um critério para verificar e analisar a proporcionalidade entre a massa corporal e a altura. Critério este que é atualmente utilizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para detetar possíveis alterações no peso de cada um de nós.

Apesar de ser um instrumento muito útil, é importante que não se foque só no índice de massa corporal, afinal existem algumas variáveis como o tipo de alimentação e condição física, que podem estar associadas.

Por isso, devemos olhar sempre para o índice de massa corporal como uma ferramenta de controlo.

Como se calcula

O índice de massa corporal é bastante fácil de calcular, basta que aplique a seguinte fórmula que relaciona o peso (Kg) e a altura (m)…

Peso (Kg) / Altura (m)^2

Deixamos um exemplo para que possa entender melhor: Se um indivíduo pesar 75 quilos e medir 1,70 metros, o cálculo deve ser o seguinte:

O artigo continua após o anúncio

 Calcule o quadrado da sua altura, isto é, 1,70 x 1,70 = 2,89;
 Divida o peso pelo valor anteriormente calculado, ou seja, 75 / 2,89 = 25,95;
3º Obtenha o resultado do seu IMC, sendo neste caso, 25,95.

É importante que depois de calcular o seu índice de massa corporal, consulte a tabela de referência da Organização Mundial de Saúde.

O objetivo desta tabela é dividir os diferentes valores de IMC por escalão, associando-os assim a um tipo de classificação.

Vamos conhecer a tabela?

Classificação para adultosIMC (Kg/M^2)Risco de comorbilidades
Baixo peso<18,5Baixo (mas risco aumentado de outros problemas clínicos)
Variação normal18,5 – 24,9Médio
Pré-obesidade25,0 – 29,9Aumentado
Obesidade Classe I30,0 – 34,9Moderado
Obesidade Classe II35,0 – 39,9Grave
Obesidade Classe III>40Muito grave

Fonte: Organização Mundial de Saúde

Portanto, seguindo o exemplo que desenvolvemos em cima no artigo, um valor de IMC = 25,95 é um indicador de excesso de peso, classificado como pré-obesidade e com um risco de comorbilidades aumentado.

Tenha em atenção que esta tabela e respetivos valores são para adultos (do sexo feminino ou masculino), com idades compreendidas entre os 20 e os 65 anos.

Em relação às crianças e jovens entre os 2 e os 19 anos, a tabela específica da Direção Geral de Saúde com base nos valores da Organização Mundial de Saúde, é a seguinte:

O artigo continua após o anúncio
Classificação criançasIMCPercentil
Baixo peso<18,5<5
Variação normal18,5 – 24,95 – 85
Excesso de peso25 – 29,985 – 95
Obesidade>30>95

Fonte: Direção Geral de Saúde

Como interpretar os escalões do IMC?

Depois de calcular o seu índice de massa corporal (IMC), já sabe em que escalão se encontra.

Vamos descobrir como é feita a interpretação de cada um deles?

  • Baixo peso (IMC inferior a 18,5): estes valores podem ocorrer em pessoas que tenham um distúrbio alimentar como a anorexia. Por vezes é comum também nos idosos, relacionado com o facto da existência de um transtorno do comportamento alimentar.
    Quando se encontra neste escalão, é essencial que esteja atento e que converse com o seu médico. Poderá ser necessária uma intervenção atenta, com o intuito de aumentar o peso e ao mesmo tempo de repor alguns valores nutricionais que poderão estar fora do normal, como por exemplo no caso da presença de uma anemia;
  • Variação normal (IMC ente 18,5 e 24,9): estes valores são considerados os valores normais, associados ao peso ideal e claro, a uma probabilidade menor de incidência de doenças e complicações na saúde. Portanto, estes são os valores recomendados para que tenha uma vida equilibrada e saudável;
  • Pré-obesidade e obesidade (IMC a partir de 25): estes valores indicam um excesso de peso acima daquele que é considerado o ideal. Neste caso, deve consultar o seu médico para que consiga perceber se é mesmo este o escalão em que se insere. Se, de acordo com o médico, for um destes o escalão ao qual pode estar associado, deve definir um plano adequado para si bem como as orientações que lhe forem dadas.

Que consequências podem estar associadas a um Índice de Massa Corporal acima de 25?

Um índice de massa corporal superior a 25 pode significar um excesso de peso ou obesidade. Por consequência poderá também estar associado ao aparecimento e desenvolvimento de algumas doenças como:

  • doenças cardiovasculares (como a hipertensão arterial ou o enfarte do miocárdio);
  • diabetes;
  • doenças respiratórias (apneia do sono);
  • dislipedemia (associado ao aumento do colesterol);
  • depressão e ansiedade (que poderão levar a uma alteração do comportamento alimentar e claro, a uma baixa autoestima);
  • doenças osteoarticulares (são exemplos as lombalgias e a limitação de mobilidade).

O que fazer para combater a obesidade?

Primeiramente, deve saber que a obesidade ocorre quando o número de calorias que ingere, é superior ao gasto. Ou seja, quando isto acontece, as calorias residem no organismo sob a forma de massa gorda podendo vir a afetar a sua saúde e bem-estar.

A obesidade, considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como uma epidemia, afeta a longevidade bem como a qualidade de vida.

Para que possa prevenir e combater a obesidade deve:

  • ter conhecimento da roda dos alimentos e seguir as proporções que são recomendadas para consumo diário;
  • conhecer o tipo de nutrientes que ingere de forma a priorizar os que são menos calóricos;
  • comer várias vezes durante o dia, entre cada 3 a 4 horas;
  • praticar exercício físico ou ter uma atividade física regular;
  • manter um peso saudável, com a ajuda do seu médico, nutricionista e/ou profissional da área de fitness.

Veja também:

O artigo continua após o anúncio