Ana Graça
Ana Graça
22 Ago, 2018 - 12:05
Mulher com depressão

Ansiedade e depressão: os sinais de que deve estar alerta

Ana Graça

Ansiedade e depressão assumem hoje proporções inimagináveis. Cada vez mais pessoas se encontram medicadas e em tratamento. Conheça bem estas patologias.

O artigo continua após o anúncio

Ansiedade e depressão são as doenças mentais mais comuns em todo o mundo. Em 2015, a Organização Mundial de Saúde estimou que o total de pessoas com depressão em todo o mundo era de mais de 300 milhões, e que o número de pessoas que apresentavam algum tipo de perturbação de ansiedade era semelhante.

Ansiedade e depressão: conheça estas patologias

Homem que sofre de ansiedade

Ansiedade e depressão andam frequentemente de mãos dadas. Muitas vezes, a ansiedade faz parte do quadro clínico da depressão e está associada às alterações de humor e aos estados depressivos. Pessoas com depressão têm tendência a sofrer de ansiedade, da mesma forma que, a maioria das pessoas que sente ansiedade num grau elevado apresenta grande probabilidade de ver o seu quadro clínico evoluir para um estado depressivo.

A depressão

A depressão é, provavelmente, a mais antiga e mais frequente das perturbações psiquiátricas diagnosticadas. É uma perturbação do estado do humor que atinge a esfera dos interesses, da vontade, da capacidade cognitiva e a regulação dos instintos, e que não deve nunca ser confundida com um estado de tristeza ligeiro ou passageiro.

Sintomas de depressão

Na depressão, podem estar presentes alguns dos seguintes sintomas:

1) Humor deprimido durante a maior parte do dia, quase todos os dias, indicado pelo relato subjetivo (a pessoa refere sentir-se triste) ou pela observação de outras pessoas;

2) Diminuição clara do interesse ou prazer em todas, ou quase todas, as atividades, durante a maior parte do dia, quase todos os dias;

3) Perda de peso, não estando a fazer dieta, ou aumento significativo de peso;

4) Aumento ou diminuição do apetite;

O artigo continua após o anúncio

5) Insónia ou hipersónia quase todos os dias;

6) Agitação ou lentificação psicomotoras quase todos os dias;

7) Fadiga ou perda de energia constantes;

8) Sentimentos de desvalorização ou culpa excessiva ou inapropriada;

9) Diminuição da capacidade de pensar ou de se concentrar;

10) Pensamentos de morte recorrentes, ideação suicida recorrente sem plano específico, tentativa de suicídio ou plano específico para o cometer.

Depressão de domingo à noite: como combater e encarar a semana
Não perca Depressão de domingo à noite: como combater e encarar a semana

Causas da depressão

A depressão pode afetar pessoas de qualquer idade. Ao longo da vida, 25% das mulheres e 10% dos homens vêm a sofrer de depressão. Ainda que não seja totalmente clara qual a causa da depressão, a investigação aponta para que seja uma combinação de:

  • Fatores genéticos (existe uma predisposição hereditária para alguns tipos de depressão);
  • Fatores biológicos (alterações em algumas substâncias cerebrais);
  • Fatores contextuais (acontecimentos de vida adversos e traumáticos);
  • Fatores psicológicos (atitude pessoal; forma como cada pessoa lida com os acontecimento de vida).

A ansiedade

Todos nós experienciamos diariamente sentimentos de preocupação, medo e nervosismo. A ansiedade apensa se torna um problema quando é desproporcional face à situação, ou seja, quando ocorre em situações que não representam ameaça ou perigo.

O artigo continua após o anúncio

A ansiedade pode constituir um problema quando:

  • É excessiva;
  • É fora de proporção face à realidade;
  • Persiste apesar de evidências em contrário;
  • Gera comportamentos desagradáveis, como evitamentos e preocupação excessiva;
  • Causa stress e incapacidade significativos na vida diária.

Sintomas de ansiedade

Existem diversas perturbações de ansiedade (por exemplo, pânico, stress pós traumático e transtorno obsessivo-compulsivo), cada qual com as suas especificidades e os seus sintomas. Mas, de forma geral, pessoas que sentem ansiedade generalizada, tendem a apresentar os seguintes sintomas diariamente:

1) Ansiedade e preocupações excessivas, sobre vários acontecimentos ou atividades diárias;

2) A ansiedade e a preocupação são difíceis de controlar;

3) Agitação, nervosismo ou tensão interior;

4) Fadiga fácil;

5) Dificuldades de concentração ou mente vazia;

6) Irritabilidade;

O artigo continua após o anúncio

7) Tensão muscular;

8) Perturbações do sono.

Ansiedade e depressão podem ser incapacitantes

Causas da ansiedade

Em alguns casos, a ansiedade pode ter uma causa evidente, no entanto, há casos em que a ansiedade parece não ter causa aparente. Pensa-se que existe uma base genética para a ansiedade, mas há outros fatores que podem desencadear ansiedade, tais como:

  • Ocorrência de experiências stressantes;
  • O consumo de álcool, drogas, e alguns medicamentos pode também associar-se a crises de ansiedade;
  • Dificuldades pessoais e conflitos interiores.

Ansiedade e depressão: como lidar?

Ansiedade e depressão: como lidar?

Na presença de sintomatologia ansiosa e depressiva deve dirigir-se ao seu médico de família e elucidá-lo acerca do que tem sentido. Caso se justifique, o seu médico irá certamente orientá-lo no sentido de obter o melhor tratamento possível, junto dos especialistas adequados.

O tratamento mais usado nas situações de ansiedade e depressão é ainda o farmacológico, contudo, existem outras intervenções que juntamente com a terapia medicamentosa podem ser benéficas, já que as terapêuticas combinadas parecem assegurar uma recuperação mais eficaz a longo prazo.

A psicoterapia é uma delas e, através da intervenção terapêutica, o doente vai sentir-se mais capaz de gerir as emoções, de se adaptar e enfrentar os desafios do dia-a-dia, de eliminar pensamentos negativos de ansiedade e depressão, e vai melhorar as suas capacidades de comunicação e tomar as rédeas da sua vida.

Veja também
Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp