Publicidade:

Já pensou em viajar para um destino desconhecido? Esta é a nova tendência de viagens

Nestas férias, deixe-se surpreender, indo para um destino desconhecido que só desvenda no momento de descolar rumo à aventura.

Já pensou em viajar para um destino desconhecido? Esta é a nova tendência de viagens
Experimente este conceito

Ir de férias para um destino desconhecido pode soar estranho, mas já é possível graças a uma empresa holandesa. O conceito pode ser arrojado. Porém, se lhe dissermos que desta forma não tem de se preocupar com nada, a não ser ir ter ao aeroporto e embarcar para o seu destino de férias, talvez mude de ideias. Na verdade, o objetivo é que não perca tempo (nem paciência) a escolher para onde vai, nem onde fica e que simplesmente, possa usufruir da viagem e da aventura de descobrir um novo local.

Viagem para um destino desconhecido: como funciona?


viajar para um destino desconhecido

Imagine que vai de férias, para um destino desconhecido. Desconhecido para si, mas tudo está completamente planeado e pensado pela agência. Neste caso, pela empresa holandesa srprs.me, fundada em 2014, em Amesterdão.

A ideia é escolher o seu tipo de férias e as datas da viagem e o orçamento disponíveis. Tudo o resto é tratado pela srprs.me que decidirá o destino, comprará os bilhetes de avião e reservará o alojamento. As únicas indicações que irá receber são o tipo de clima esperado no local para onde vai – para que possa levar roupa em conformidade – e as horas a que tem de estar no aeroporto.

E que tal a experiência?

Liz Boulter já viveu esta mesma experiência e só soube que ia para o Porto no momento em que chegou ao aeroporto. A vantagem de viajar desta forma é, segundo Liz, deixar as coisas acontecerem, sem ficar demasiado preso a guias com todos os must do, must try, must visit. Assim, Liz conseguiu passar alguns dias na Invicta, longe dos sites de viagens e críticas online, abraçando com espontaneidade o que a cidade tinha para oferecer, como um delicioso polvo à lagareiro.

A cidade foi explorada caminhando pelas suas ruas e entrevendo o que elas tinham para mostrar. Uma igreja ali, um bar acolá, tudo se foi apresentando de forma natural a esta turista sem mapa na mão. Liz não foi ao Museu de Serralves – um dos museus mais visitados da cidade, mas apreciou a arte urbana espalhada pelas ruas do centro e ainda descobriu fascinantes lojas de artesanato.

Liz também não assistiu a nenhum concerto na conceituada Casa da Música, mas participou em algumas sessões de fado que decorreram num bar perto do Teatro Nacional de São João. Ainda houve tempo para atravessar a ponte e ir até Vila Nova de Gaia, à zona piscatória de São Pedro da Afurada, onde experimentou alguns pratos de peixe. Também não foi aos restaurantes de comida sofisticada e gourmet, preferindo sempre as tascas e tabernas mais típicas, onde servem os petiscos locais. Pode encontrar mais informações, aqui.

O balanço de Liz foi positivo e mostra como viajar e descobrir uma cidade, pode ser levado a cabo de diferentes maneiras, todas elas válidas. Se está cansado de planear à exaustão cada passo que vai dar nas suas férias, então talvez ir para um destino desconhecido possa ser uma boa opção para si. Parta a aventura, sem mapas nem guias, e deixe que a cidade se apresente por si mesma.

Veja também: